Política

Reprovação de Dilma pode fortalecer pedidos de impeachment, diz deputado

Parlamentar considera a pesquisa "péssima" para o governo

Midiamax Publicado em 07/08/2015, às 14h12

None
marun.jpg

Parlamentar considera a pesquisa “péssima” para o governo

É péssimo para a presidente da República, Dilma Rousseff (PT), a pesquisa que indica reprovação de 71%, avalia o deputado federal Carlos Marun (PMDB). Segundo pesquisa Datafolha, a reprovação de Dilma supera a registrada pelo ex-presidente Fernando Collor, às vésperas de sofrer um impeachment.

“A presidente sem um alicerce de popularidade dificulta levantar e retomar o comando do País. Não tem onde pisar, eu entendo desta forma”, disse.

De acordo com a pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada na quinta-feira (7), a rejeição dela é a pior registrada por um presidente. Em levantamento anterior, 65% dos entrevistados viam o governo Dilma como ruim ou péssimo.

Para Marun, a consequência da pesquisa poderá ser testada durante a manifestação marcada para 16 de agosto. Ele acredita que se os protestos forem fortes, a permanência do atual governo poderá ficar comprometida. Caso contrário, ideias a respeito de um possível impeachment de Dilma terá que ser descartado. “Se a manifestação for fraca, nós temos que retirar essa pauta do impecheament de uma vez. Aí é tentar diálogo com a presidente”.

Rejeitada em abril pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), a proposta de impeachment da presidente pode ser retomada. O presidente pediu que os autores encaminhem documentos. 

Jornal Midiamax