Política

Região do Dom Antônio será a primeira a receber o ‘Rede Solidária’

Iniciativa partiu da Sedhast com parceria público-privada

Jessica Benitez Publicado em 09/10/2015, às 16h15

None
rede-46.jpg

Iniciativa partiu da Sedhast com parceria público-privada

A primeira região a receber o projeto ‘Rede Solidária’, pré-lançado nesta sexta-feira (9) pela Sedhast (Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho) será a do bairro Dom Antônio Barbosa. Por lá já está praticamente finalizado um prédio para abrigar os seis módulos do programa que visam qualificação profissional, cursos voltados à música, arte, grupos de ajuda e ampliação do conhecimento sobre temas de relevância, recrutamento e qualificação de voluntários e implantação de hortas comunitárias.

Tudo disponibilizado às famílias com baixa renda, principalmente as que já têm auxílio do programas social Vale-Renda, sendo 17 mil só na Capital. No Dom Antônio será o piloto e servirá de referência aos próximos destinos. A meta inicial é atender 850 famílias. Conforme a titular da pasta, vice-governadora Rose Modesto (PSDB), o objetivo é levar a iniciativa às 7 regiões de Campo Grande e posteriormente às cidades do interior de Mato Grosso do Sul.

“Até dezembro, começo de janeiro vamos fazer os ajustes necessários e levar para outros lugares. Para isso precisamos também de voluntários, esses serão capacitados pelo próprio projeto e serão vinculados às ONGs (Organizações Não Governamentais) que já são nossas parceiras”, explicou.

Para construção do imóvel e compra de alguns equipamentos o Estado disponibilizou R$ 500 mil de recursos próprios e também cederá R$ 200 mil ao mês para manutenção do local. O restante das despesas ficam por conta dos parceiros, empresas que terão selos de reconhecimento. “Sem a parceria do 3° setor e da sociedade civil organizada não conseguiríamos realizar esse projeto”, admitiu o governador.

O lançamento oficial do Rede Solidária será no dia 13 de novembro com a presença do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). A unidade, inclusive, terá o nome da esposa de FHC, Ruth Cardoso. Além do prédio fixo, haverão containers para abrigar biblioteca e vestiários próximos ao campo de futebol. O Governo do Estado irá fazer chamamento dos interessados em exercer voluntariado.

Jornal Midiamax