Política

Puccinelli quebra acordos com prefeitos e deixa promessas para Azambuja

Puccinelli prometeu e não cumpriu dinheiro para recapeamentos

Midiamax Publicado em 10/01/2015, às 10h06

None
9a1d0753b4368ff921984f353dd9117a.jpg

Puccinelli prometeu e não cumpriu dinheiro para recapeamentos

O governador André Puccinelli (PMDB) também deixou pendências com prefeitos para o novo governador, Reinaldo Azambuja (PSDB). As promessas não cumpridas recheiam o chamado “pacote de maldades” deixado pelo ex-governador ao novo chefe do Poder Executivo.

Em reunião na Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), os prefeitos relataram que o governador prometeu ajuda para recapeamento de algumas ruas e não conseguiu cumprir os acordos.

“Ele tinha feito compromisso de fazer lama asfáltica ou recapeamento no total de R$ 970 mil, mas não deu ordem de serviço. Prometeu dentro do programa dele e depois disse que não teria condições de fazer. Seria para recapeamento da avenida Brasil, num total de 56 mil metros quadrados”, reclamou o prefeito de Sidrolândia, Ari Basso (PSDB).

O prefeito relata que a cidade está com vários problemas com buracos por conta da chuva e tem dificuldade para consertar, diante da receita baixa. “Nós vamos ter que recuperar. Só tapa buraco não está resolvendo mais”, contou.

O prefeito de Douradina, Darcy Freire (PDT), também ficou no prejuízo com as promessas de Puccinelli. O ex-governador prometeu R$ 500 mil em recapeamento, mas acabou não cumprindo, avisando que teve “problema com uma liminar e precisou suspender o gasto”.

O prefeito de Angélica, Luiz Antônio (PSDB), diz que o município foi muito ajudado pelo governador. Porém, também citou obra prometida e não cumprida. O governador prometeu asfaltar 15 quilômetros de uma estrada que liga a usina ao Município, mas também não tirou do papel.

O prefeito de Alcinópolis, Ildomar Carneiro, alega que o ex-governador cumpriu todos os compromissos feitos com ele. Porém, reclama dos buracos em rodovias recém-pavimentadas por Puccinelli, como a MS-436 e MS-359. Segundo o prefeito, há pelo menos quatro trechos que estão bastante complicados.

O governador Reinaldo Azambuja tem feito constantes reclamações sobre problemas deixados por Puccinelli. A lista inclui aumento do duodécimo, do salário de servidores, falta de pagamento e a até o fato de não ter deixado dinheiro para conclusão de obras, conforme prometido. Ele pretende apresentar na próxima semana um raio X do cofre vazio deixado por Puccinelli para a gestão dele.

Jornal Midiamax