Política

Prejuízos de cheques de fundos chegaram a R$ 800 mil diz ex-comissionado

"Eu já imaginava um prejuízo de R$ 700 a R$ 800 mil", disse

Diego Alves Publicado em 28/11/2015, às 00h18

None
_mg_9340_interna.jpg

"Eu já imaginava um prejuízo de R$ 700 a R$ 800 mil", disse

No final dos depoimentos, Jeferson Ferreira Vitório contou que os cheques sem fundos geraram R$ 800 mil de prejuízos para quem os emprestou para Gilmar Olarte. 

Testemunhas de acusação prestaram depoimento no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) nesta sexta-feira (27), nas oitivas realizadas pelo desembargador Luiz Cláudio Bonassini em ação que Gilmar Olarte, Ronan Feitosa e Luiz Márcio Feliciano são réus.

Juntos, eles respondem pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os três são acusados de usarem cheques em branco em golpes.  Jeferson foi namorado de Marly Deborah Pereira que também depôs nesta sexta.

O filho (Fabrício) de Marly também chegou a emprestar cheques para Olarte, segundo Marly que foi secretária do vice-prefeito afastado. Jeferson também disse em depoimento que foi comissionado na Segov (Secretaria de Governo de Campo Grande) quando Olarte era vice-prefeito,

“Pelo que eu vi, estava em R$ 280 mil, só do Fabrício estava em torno de R$ 240 mil, eu já imaginava um prejuízo de R$ 700 a R$ 800 mil, porque tinha mais pessoas que eu soube que também estavam sem receber”.

Jornal Midiamax