Política

Prefeitura pode cortar mais R$ 3 milhões em gratificações de servidores

Cortes já garantiram redução de R$ 12 milhões na folha

Midiamax Publicado em 25/04/2015, às 13h19

None
20150107183445_4460.jpg

Cortes já garantiram redução de R$ 12 milhões na folha

O secretário de Administração, Wilson Prado, declarou ao Midiamax que, pelo menos neste mês, não haverá mais cortes de gratificações de servidores. Mas, não descartou corte de pelo menos mais R$ 3 milhões para chegar a uma redução de R$ 15 milhões na folha de pagamento.

O secretário explica que os cortes feitos em março renderam R$ 2 milhões de economia. Eles serão somados aos R$ 10 milhões que a prefeitura pretende economizar com os novos cortes anunciados neste mês, que juntos chegam a R$ 12 milhões.

A meta da prefeitura  era de economizar R$ 20 milhões, conforme entrevista dada ao Midiamax no começo de abril, mas o secretário acredita que pode ficar na casa dos R$ 15 milhões. Para isso, a prefeitura precisaria cortar mais R$ 3 milhões.

Apesar da necessidade, o secretário vai aguardar o final do mês para observar a arrecadação da prefeitura, avaliando se precisará ou não da redução de outras gratificações.  “Vamos cortar se não houver aumento da arrecadação”, justificou.

O secretário alega que a prefeitura enfrenta dificuldade por conta da redução do repasse de ICMS, feita ainda na gestão de André Puccinelli (PMDB), que fez a prefeitura deixar de arrecadar R$ 6 milhões por mês. Segundo Prado, soma-se a esta queda a redução do Fundo de Participação dos Municípios, o que levou a prefeitura a ficar no vermelho, necessitando destes ajustes.

O Diário Oficial de Campo Grande de ontem trouxe a publicação da suspensão de três gratificações concedidas aos médicos há vários anos, tendo uma delas mais de 10 anos de criação. Esta gratificação previa pagamento de, aproximadamente, R$ 300 caso os funcionários cumprissem resultados estabelecidos pela Secretaria de Saúde.

O prefeito também suspendeu a gratificação de 2007, também de aproximadamente R$ 300, para servidores que atuam em ambulatórios. Os médicos recebiam estará gratificações se cumprissem metas. O decreto também corta adicional de 2011, que também previa vantagem por resultados obtidos em avaliações trimestrais e anuais, mediante capacitação ou aperfeiçoamento dos servidores.

Segundo publicação, as gratificações estão suspensas enquanto durar a normativa 12.595, publicada no mês de janeiro, que regulamenta várias ações da prefeitura para contenção de despesas.  Neste mês a prefeitura já tinha publicado corte de gratificação de mais de 200 servidores da Secretaria de Saúde, Semed (Secretaria Municipal de Educação), Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande)

Jornal Midiamax