Política

Pente-fino do governo flagra fantasmas e bloqueia salário de 114 servidores

Segundo secretário, 'meia dúzia não trabalhava'

Midiamax Publicado em 29/06/2015, às 11h00

None
reinaldo_azambuja-andre_puccinelli-governadoria-gw3.jpg

Segundo secretário, ‘meia dúzia não trabalhava’

O governo do Estado encontrou servidores fantasmas entre os cedidos para diversas instituições em Mato Grosso do Sul. Os dados foram obtidos por meio do recadastramento exigido pela nova gestão, de Reinaldo Azambuja (PSDB).

Segundo o secretário de Administração do Estado, Carlos Alberto de Assis, o governo já conseguiu localizar todos os cedidos, ainda que tenha sido preciso bloquear o salário de 114 que não fizeram o recadastramento.

O secretário explica que hoje o governo sabe onde estão todos os cedidos, mas admite que uma “meia dúzia” não cumpria expediente. “Hoje eles estão trabalhando, mas encontramos uma meia dúzia aí que não trabalhava. Alguns continuaram cedidos por conta da necessidade e outros voltaram para o local de trabalho”, contou.

A atualização cadastral ainda não terminou por conta dos professores e de inativos, que têm dificuldade maior para o acesso ao portal do governo do Estado. Porém, em pouco tempo o governo espera ter uma visão geral da formação e ficha completa dos servidores.

“O objetivo é ver onde precisa atualizar e reforçar o servidor já em 2016. Com os dados podemos identificar quantos serão aposentados e quais concursos precisamos abrir, por exemplo”, justificou Assis. O secretário espera receber todos os dados em mãos até o dia 10 de julho.

O Midiamax fez várias matérias sobre a suspeita de fantasmas na gestão de André Puccinelli (PMDB). Denúncias envolviam ex-prefeitos e até participante de reality show, mas o governador nunca foi punido. A equipe de reportagem do Jornal Midiamax chegou a ir até o governo para localizar alguns suspeitos, mas foi impedida de entrar na Secretaria de Governo, que abrigava a maioria dos comissionados.  

Jornal Midiamax