Política

Para deputados estaduais, tema de redação do Enem contribui para nova cultura

Deputados comentaram o tema 

Diego Alves Publicado em 29/10/2015, às 01h08

None
fabianasilvestre281020151308.jpg

Deputados comentaram o tema 

Deputados estaduais comentaram, durante a sessão plenária desta quarta-feira (28/10), o tema proposto este ano pelo Ministério da Educação para a redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira. Segundo o deputado Pedro Kemp (PT), a discussão não interessa somente às vítimas, mas a toda a sociedade brasileira.

“Sabemos que as causas da violência contra a mulher são muitas, mas a principal talvez seja a questão cultural, o machismo, e outras variáveis”, afirmou o parlamentar. Kemp lembrou que constantemente debate o tema na Casa de Leis e que as conquistas, como a Lei Maria da Penha e a criação das coordenadorias regionais de atendimento à mulher, além de outras políticas públicas, representam importantes avanços, mas os casos de violência persistem.

“Em Campo Grande, temos a primeira Casa de Mulher Brasileira, onde as mulheres recebem atendimento especializado, mas os índices são alarmantes e, por isso, achei muito importante termos mais de cinco milhões de pessoas pensando nesse assunto, em todo o Brasil, ao fazer a redação do Enem no último domingo [25/10]”, reiterou o deputado. Para Kemp, mesmo que a escolha do tema tenha sido ridicularizada nas redes sociais, trata-se de uma decisiva contribuição para um novo momento no País.

 “Também pude sentir as ironias, mas sei que muitas mulheres, ao fazer a redação do Enem, estavam fazendo um depoimento silencioso”, disse a deputada Antonieta Amorim (PMDB). Ela defendeu a criação de uma Comissão Permanente de Defesa dos Direitos da Mulher, no âmbito da Assembleia Legislativa. 

Jornal Midiamax