Política

Olarte diz que mandou Procuradoria verificar contratos com João Amorim

Prefeitura promete dar 'toda atenção' à PF, se preciso

Midiamax Publicado em 13/07/2015, às 13h51

None
img-20150713-wa0048.jpg

Prefeitura promete dar ‘toda atenção’ à PF, se preciso

A Procuradoria Geral do Município foi encarregada de verificar se há “qualquer coisa de errado” em contratos entre a Prefeitura de Campo Grande e empreiteiras investigadas na Operação Lama Asfáltica, disse na manhã desta segunda-feira (13) o prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP).

“O que eu sei (sobre a Operação Lama Asfáltica) é pela imprensa. Já demos encaminhamento para a Procuradoria e, se houver qualquer coisa errada, que ela me comunique para tomarmos alguma atitude”, disse o prefeito, que deu posse ao novo secretário municipal de Educação, Marcelo Monteiro Salomão, nesta manhã. A Prefeitura dará “toda atenção à Polícia Federal” caso seja necessário, completou, finalizando: “estamos cuidando da cidade, para a cidade caminhar”.

Algumas das empresas investigadas, como a Proteco e a LD Construções, mantêm ao menos 16 contratos com a Prefeitura, que passam da casa dos R$ 50 milhões. A primeira pertence a João Amorim, apontado pela PF como principal alvo das investigações, e a segunda é de Luciano Dolzan, genro dele.

Recaem sobre as empresas suspeitas de integrarem um esquema de desvio de dinheiro público por meio de fraudes em licitações. Segundo a PF, o domínio de Amorim sobre várias licitações, principalmente para obras de tapa-buracos, e a evolução repentina do capital social da LD, também chamaram a atenção.

Jornal Midiamax