Política

Mochi defende que PMDB afine discurso e, se for o caso, entregue cargos a Olarte

Bancada na Câmara da Capital está dividida

Midiamax Publicado em 14/05/2015, às 12h51

None
junio_mochi_cleber_gelio_1.jpg

Bancada na Câmara da Capital está dividida

Os vereadores do PMDB têm de afinar o discurso sobre o posicionamento em relação ao governo do prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), e, se for o caso, entregar os cargos que mantém na administração municipal, comentou na manhã desta quinta-feira (14) o presidente estadual do partido, deputado estadual Junior Mochi. “Não pode um falar uma coisa e outro falar outra coisa”, pontua o dirigente.

Mochi e outras lideranças locais peemedebistas estão reunidas nesta manhã para discutir, principalmente, os rumos do partido de olho nas eleições municipais em 2016. Na Capital, por sua vez, a bancada do PMDB na Câmara Municipal, a maior delas, com sete parlamentares, está dividida sobre ser base ou não do prefeito.

“É uma decisão que cabe aos vereadores e ao diretório municipal, a minha opinião é para unificar o discurso”, analisa Mochi. Ele disse ter sido consultado sobre a divisão da bancada pelos vereadores Vanderlei Cabeludo e Carla Stephanini.

Seja qual for a decisão, os vereadores devem procurar o prefeito para conversar, defende Mochi. “Se for para a base, chega no prefeito e conversa; se não for, vai lá e avisa, entrega os cargos e diz que fica a critério da vontade pessoal dele decidir”.

O que não pode, segundo o presidente regional do PMDB, é ficar na indefinição. “Tem que ter autonomia, você não está, mas está (na base do prefeito), tem que haver definição”, prossegue o deputado.

Jornal Midiamax