Política

Júnior Mochi será reconduzido à presidência estadual do PMDB

Puccinelli teria dispensado convite à presidência

Evelin Cáceres Publicado em 15/10/2015, às 15h11

None
mochi.jpg

Puccinelli teria dispensado convite à presidência

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul Junior Mochi será reconduzido à presidência do PMDB e terá como vice Eduardo Rocha, que confirmou nesta quinta-feira (15) ter aceitado o desafio de substituir Esacheu Nascimento.

Os nomes serão anunciados na convenção partidária no dia 26 de outubro. “Vamos nos unir para organizar as eleições no ano que vem. Pretendemos percorrer os 79 municípios e lançar candidaturas próprias, ou até mesmo composição dependendo de cada cidade”.

O plano do partido, segundo Rocha, era colocar o ex-governador André Puccinelli na presidência. “Mas ele não quis”, limitou-se a comentar. Mochi também já havia sinalizado não querer continuar na presidência por conta do cargo na Assembleia, mas o partido pediu para que ele continuasse.

A ideia do PMDB é de que ninguém que vá disputar a eleição no ano que vem assuma a presidência. Com os escolhidos, não fica tão limitada a escolha para uma disputa em Campo Grande, por conta da má fase encarada pelo partido após a Operação Coffee Break e Lama Asfáltica.

“Se não tivesse nenhuma dessas operações seria melhor, mas é preciso esperar o resultado das investigações”, opinou Rocha sobre o possível envolvimento de membros do PMDB nas investigações sobre compra de votos e desvio de dinheiro. 

Jornal Midiamax