Política

‘Gritaria política’ é ruim para Campo Grande e tem que acabar, diz Olarte

'Ao prefeito cabe trabalhar', emenda o prefeito

Midiamax Publicado em 11/08/2015, às 13h38

None
img-20150811-wa0046.jpg

‘Ao prefeito cabe trabalhar’, emenda o prefeito

O prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), classificou de “gritaria política” o fato de a Corregedoria do MPE (Ministério Público Estadual) recomendar que uma promotoria peça a abertura de comissão processante contra o presidente da Câmara Municipal, Mario Cesar (PMDB). “Quem perde com tudo isso é a população”, comentou.

“Essa gritaria política tem que acabar, isso é muito ruim para Campo Grande. Ao prefeito cabe apenas trabalhar. As questões judiciais têm que ser verificadas com o Judiciário e as policiais com a polícia. Quem perde com tudo isso é a população”, disse Olarte, após inaugurar uma academia ao ar livre na Vila Fernanda, na manhã desta terça-feira (11).

A orientação da Corregedoria do MPE leva em conta escutas telefônicas feitas durante a Operação Lama Asfáltica. Nelas, conforme o corregedor, Mauri Valentim Riccioti, há indicações do envolvimento o presidente da Câmara com João Amorim, dono da Proteco, em possível articulação para cassar Alcides Bernal (PP), na época prefeito.

Mario Cesar já negou que tenha havido negociação neste sentido. “Não pode, por um fato isolado, tentarem estragar tudo o que aconteceu desde 2012, desde a eleição do Bernal”, falou, em entrevista no dia 4 de agosto.

Jornal Midiamax