Política

Governo volta a discutir jornada de 30 horas para enfermeiros do Estado

Um grupo de estudo terá 60 dias para apresentar relatório

Ludyney Moura Publicado em 14/04/2015, às 18h30

None
enfermeiros-do-hospital-regional-8.jpg

Um grupo de estudo terá 60 dias para apresentar relatório

Depois de vetar o projeto de lei que estipulava uma jornada de 30 horas semanais, ou 6 horas diárias, para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem de Mato Grosso do Sul, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) prometeu voltar a estudar a pauta proposta pela categoria.

Nesta terça-feira (14), o tucano se reuniu com representantes do SINTSS-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social do Estado), e pactuaram o início de um estudo para analisar a viabilidade da jornada de 30 horas para a categoria.

“Vamos fazer um estudo de impacto para ver onde é possível economizar dentro do hospital e onde é possível melhorar a arrecadação para que a gente possa fazer com que os trabalhadores consigam a redução da jornada”, disse o presidente do SINTSS, Alexandre Costa.

O grupo que vai estudar a questão terá dois meses para apresentar um relatório sobre o caso, e será composto pelo secretário estadual de saúde, Nelson Tavares, por profissionais de enfermagem do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) e demais servidores do Estado.

Ao vetar o projeto, Reinaldo alegou que a mudança para a jornada da categoria caberia à União, por se tratar de uma matéria que tenha abrangência nacional. Desta vez, Costa afirmou que a redução beneficiaria pelo menos 700 profissionais apenas no HRMS.

“Mesmo sem regulamentação de lei em Brasília, o Estado consiga implantar a as 30 horas no Hospital regional, que é o único setor da saúde pública estadual que não faz a jornada reduzida”, pontuou o sindicalista. 

Jornal Midiamax