Política

Governo faz levantamento de bens móveis e imóveis do Estado

Iniciativa tem base na política de redução de custos

Midiamax Publicado em 20/06/2015, às 22h57

None
carlos-alberto-e-beto-furlan-300x202.jpg

Iniciativa tem base na política de redução de custos

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Administração e Desburocratização, através da Superintendência de Patrimônio e Transporte vem realizando nos últimos meses, um levantamento dos bens móveis e imóveis do estado. A iniciativa, com base na política de redução de custos, já começa a produzir resultados.

No município de Miranda, distante 202 km da capital, enquanto o estado é proprietário de um imóvel de 950 m2, os atendimentos da Agencia Fazendária, Agraer e da Iagro são disponibilizados à população em prédios locados pela administração pública. A mesma situação, conforme o superintendente de Patrimônio e Transportes, Alberto Furlan já foi detectada nos municípios de Jateí, Agua Clara e Mundo Novo. “Falta organização. Instituímos uma comissão e através dela, organizamos um calendário de visitações para conferir in loco a situação e disponibilidade de todos os imóveis no interior do estado”, explica.

Para o titular da pasta, o secretário Carlos Alberto de Assis  é inadmissível que o Governo do Estado sendo proprietário de imóveis em perfeito estado, como é o caso do município de Miranda, pague por locações em espaços, muitas vezes inferior, aos de propriedade da administração pública. “São ações que andam na contramão da nossa política de redução de custos. Mais uma prova de que é possível enxugar a máquina pública, basta ter vontade e organização, pontua.

Agora, por determinação do Governador Reinaldo Azambuja, Miranda passará a contar com uma central de atendimento que disponibilizará os serviços da Agraer, da agencia Fazendária e da Iagro em um único local, que é próprio. A medida, além da redução de custeio, com a unificação de contas de água, luz, telefone e recursos humanos, vai garantir uma economia de R$ 54 mil por ano aos cofres do Estado.

Para o diretor financeiro da Agraer, José Alexandre Ramos Tranin essa integração dos órgãos estaduais vai refletir diretamente no atendimento que será disponibilizado a população. “A unificação desses atendimentos em um único local vai facilitar muito, especialmente para o agricultor que vai conseguir resolver todas as questões em um único local, otimizando tempo”.

Jornal Midiamax