Política

Funcionários da Casa da Mulher Brasileira passarão por curso de qualificação

Curso para os 83 funcionários começou nesta sexta

Midiamax Publicado em 19/06/2015, às 17h37

None
unnamed.jpg

Curso para os 83 funcionários começou nesta sexta

Como parte do atendimento da Casa da Mulher Brasileira, a Prefeitura de Campo Grande iniciou nesta sexta-feira (19) o curso de qualificação para 83 funcionários terceirizados que irão trabalhar na Casa. A CMB é administrada, conjuntamente pelo Município e pelo Governo Federal, que durante dois anos repassará recursos para manutenção da unidade.

“Essas pessoas estão sendo qualificadas porque todos os dias vão trabalhar com mulheres vitimas da violência. Inicialmente, a Casa estava funcionando com os servidores da Prefeitura. Alguns vão retornar para seus órgãos de origem e outros ficarão para compor o quadro de funcionários da Casa da Mulher”, ressaltou o coordenador administrativo, de planejamento e finanças da Semmu (Secretaria Municipal da Mulher), Elton Dione de Souza.

De acordo com a titular da Semmu e coordenadora do município na Casa da Mulher Brasileira, Liz Derzi de Matos, o convênio com o governo federal garante a manutenção da casa por dois anos. “Este convênio vai manter o funcionamento da Casa da Mulher Brasileira e vamos ter condições de pagar os funcionários contratados pela empresa RMH, vencedora da licitação. Este curso é fundamental para os funcionários contratados, pois aqui nós trabalhamos com mulheres que sofreram algum tipo de violência e devem ser bem acolhidas”, frisou.

No primeiro dia, os funcionários tiveram a palestra da consultora e professora-adjunta da UFMS, Cláudia Araújo que destacou a relevância do curso. “Esta capacitação tem uma importância relevante porque é um grupo novo de profissionais que estarão integrando o quadro de funcionários da Casa da Mulher, aqui em Campo Grande. Na capacitação de hoje, vamos abordar todos os gêneros baseados na violência da mulher. É importante reforçar que os funcionários que estão chegando agora vão trabalhar diretamente ou indiretamente com as vítimas. Ao longo do ano, vamos oferecer ao grupo diversos tipos de qualificação”, informou.

Jornal Midiamax