Política

Falta de líder não atrapalha relação com a Câmara, diz Bernal

Prefeito foi reunir-se com vereadores na casa, onde tem minoria

Midiamax Publicado em 09/11/2015, às 12h56

None
bernal_camara_0911_400x300_wr.jpg

Prefeito foi reunir-se com vereadores na casa, onde tem minoria

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), não precisa de um líder para representá-lo na Câmara Municipal. Foi o que ele indicou ao chegar, na manhã desta segunda-feira (9), para reunião com vereadores.

“Não temos um líder, mas a casa tem presidente e vereadores. Não acredito que não ter um líder vá atrapalhar”, disse Bernal. Os principais assuntos a serem tratados são o serviço de tapa-buracos na cidade, suplementação orçamentária e projeto sobre uso de dinheiro de depósitos judiciais.

Em relação ao tapa-buracos, semana passada a Câmara Municipal aprovou a convocação do secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Amilton Cândido, para dar explicações diante do cenário de má conservação de vias da Capital. Nesta manhã, Bernal disse que pretende explicar à Câmara projeto nesta área a ser lançado na próxima quarta-feira (11).

Falta de líder não atrapalha relação com a Câmara, diz BernalO prefeito também citou que pedirá aprovação de suplementação orçamentária de R$ 40 milhões – ou seja, remanejamento de verbas de uma área para outra da administração municipal. O projeto, conforme Bernal, “é para inclusive atender reivindicação dos próprios vereadores”.

Por fim, a proposta de regularizar créditos depositados em juízo vem na esteira de medidas semelhantes adotados nos âmbitos federal e estadual. Conforme Bernal, sua aprovação representaria injeção na casa dos R$ 26 milhões aos cofres municipais.

Desde que voltou ao cargo, no fim de agosto, Bernal trabalha com minoria na Câmara, protagonizando relação atribulada com os parlamentares. Um de seus aliados, Paulo Pedra (PDT), foi nomeado secretário de Governo, enquanto outro grupo até então da situação, a bancada do PT, declarou independência.

Jornal Midiamax