Política

Evento dos 100 dias de Reinaldo terá pacto pela transparência pública

Governador promete transparência em tempo real

Evelin Cáceres Publicado em 10/04/2015, às 11h27

None
reinaldo.jpg

Governador promete transparência em tempo real

Depois de abrir a ‘caixa-preta’ deixada por André Puccinelli (PMDB) e revelar rombo que pode chegar a R$ 450 milhões, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) comemora nesta sexta-feira (10) os cem primeiros dias de governo com assinatura do Termo de Adesão e Compromisso ao Programa Brasil Transparente. Criado pela CGU (Controladoria-Geral da União), o programa auxilia Estados e municípios na implementação das medidas de governo transparentes previstas na Lei de Acesso à Informação (LAI).

Será realizado um evento às 19 horas no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo. Reinaldo deve mostrar quais são as realizações do seu governo e o que planeja para os próximos quatro anos. Na semana passada, ele chamou a imprensa para apresentar os resultados de uma auditoria que apontou rombo de R$ 450 milhões, entre dívidas com fornecedores, previdência e montante necessário para conclusão de obras (dentre elas o Aquário do Pantanal), deixadas pelo governo anterior.

Aliados de Puccinelli admitiram que se reuniram com o líder para discutir o teor do relatório e dizem que haveria ‘má interpretação’. Enquanto isso, Reinaldo retoma o discurso da campanha, quando prometeu transparência em tempo real e derrotou o candidato do PMDB, Nelsinho Trad, já no primeiro turno, e ganhou o mandato derrotando também o candidato petista, Delcídio do Amaral. “Na nossa proposta de governo estamos defendendo transparência em tempo real: divulgar os gastos do governo, todas as receitas e todas as despesas, para quem gasta, como paga e como arrecada”, afirmou à época.

O objetivo do governador com a assinatura desse tempo é juntar esforços no incremento da transparência pública e na adoção de medidas de governo aberto, indispensáveis para o fortalecimento da democracia e para a melhoria da gestão pública.

Além disso, cada secretário de Estado assina um Contrato de Gestão para 2015, que simboliza o compromisso de cada secretaria com suas prioridades e metas, que objetivamente significa um pacto com a população de Mato Grosso do Sul. Os secretários aproveitam a oportunidade para assinar os Decretos de Reestruturação de cada uma das 13 secretarias do Estado.

Para acompanhar as assinaturas, estarão presentes a secretária de Transparência e Prevenção da Corrupção da CGU, Patricia Audi (representando o ministro chefe da CGU), Valdir Simão; controlador-geral da União em Mato Grosso do Sul, José Paulo Barbiere; presidente de Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, José Maria Lós; presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado estadual Junior Mochi, além dos secretários de Estado e demais autoridades civis e militares.

Jornal Midiamax