Política

Eduardo Romero irá oficiar a Semadur quanto à licenciamento de areeiro

Vereador quer saber a respeito dos procedimentos adotados pelo Executivo na autorização 

Midiamax Publicado em 25/02/2015, às 00h42

None
eduardo.jpg

Vereador quer saber a respeito dos procedimentos adotados pelo Executivo na autorização 

Eduardo Romero é presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal (Foto: Reprodução/Arquivo Midiamax)
Presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal, o vereador Eduardo Romero (PT do B) irá ainda na manhã da quarta-feira (25) enviar um ofício à Secretaria de Meio-Ambiente e Desenvolvimento Urbano, no qual irá cobrar esclarecimentos sobre a concessão de uma licença para extração de terra, argila e pedra nas proximidades de uma área de preservação ambiental. O parlamentar pretende saber sobre o impacto que o empreendimento pode ter na área que será instalado, no quilômetro 13 da BR-262, vizinho aos córregos Guariroba e Água Turva. 

“O Areeiro é tipo de empreendimento que oferece um impacto ambiental direto, é necessário para o desenvolvimento de uma cidade mas não pode ser realizado em lugares que possam oferecer risco à mananciais. Sem o cuidado técnico adequado essa retirada de matéria orgânica pode ainda gerar assoreamentos, erosão e problemas irreversíveis  bioma, que além de tudo é algo futuramente custoso ao Pode Público. Estou atento a essa autorização pois a Bacia do Guariroba trata-se de um manancial que fornece 54% da água abastecida em Campo Grande”, diz Romero.

O vereador fez questão de lembrar ainda ao Midiamax que é preciso ter um cuidado específico com a Área de Preservação Ambiental do Guariroba (APA), onde é permitida a realização de atividades econômicas e industriais, desde que estas não representem impacto ambiental direto. Eduardo Romero também enfatizou que a nascente recebeu há pouco tempo repasses de convênios na ordem de R$ 1,5 milhão, com encaminhamento do Ministério Público de R$ 800 mil para o Programa Manancial Vivo, com o Pagamento de Serviço Ambiental (PSA).

“A água não é um bem individual, é de todos. Por isso me assusta ter essa autorização expedida pela Semadur, que é a de Meio-Ambiente, a qual é designada para cuidar disso, sendo existente naquela região uma APA. E existe intensamente uma discussão para se recuperar essa bacia, com a consulta à Agência Nacional de Águas (ANA), que já liberou R$ 2 milhões para serem aplicados. No entanto não chegou a se efetivar a liberação desse recurso por conta de trapalhadas da Prefeitura, com as administrações do Nelsinho e do Bernal”, relata o vereador que fará na sexta-feira (26) uma reunião com a Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos(Agereg) para discutir a captação de investimentos dos serviços concessionados quanto à preservação das áreas de preservação ambiental de Campo Grande, especialmente as de mananciais.

A licença 

Publicada no Diogrande desta terça-feira, uma autorização da Semadur autorizou a Mineradora Eva LTDA à instalar um areeiro no quilômetro 13 da BR-262, vizinho aos córregos Guariroba e Água Turva. Em contato com o Midiamax o ambientalista Haroldo Borralho se mostrou indignado com a concessão que segundo ele estaria em um local próximo a manaciais de água, justamente para um empreendimento que irá oferecer grande impacto ambiental por se tratar de extração de pedra, argila e areia. A licença seria de um ano conforme a publicação oficial.

O jornal tentou entrar em contato com a empresa, que informou telefones, que direcionam suas ligações aos de residências. O Midiamax ouviu inclusive a dona de uma das casas que frequentemente recebe os telefonemas a procura da Mineradora Eva. Ela afirmou que chega a desligar o seu aparelho para não receber ligações em alguns dias. O números foram informados em um buscador de negócios.

Jornal Midiamax