Política

Dos 29 vereadores apenas 11 fizeram emendas à LDO

Relator disse que baixa adesão dos legisladores é normal

Jessica Benitez Publicado em 02/07/2015, às 21h16

None
camara.jpg

Relator disse que baixa adesão dos legisladores é normal

Dos 29 vereadores de Campo Grande, apenas 11 apresentaram emendas à LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) que servem para nortear o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), na elaboração do Orçamento do Executivo. Ao todo foram apresentadas 71 emendas que também têm a função de garantir o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal. A votação está prevista para semana que vem. 

Segundo o relator da LDO, vereador Eduardo Romero (PTdoB), o projeto de lei foi encaminhado ao Legislativo em abril deste ano. De lá para cá os legisladores elaboraram as emendas. Para ele, é normal que a maioria não tenha apresentado nada. “Eles estão deixando para o Orçamento que entra com mais proposição. Acontecer isso na LDO é normal”, explicou.

Os autores são Carlão (PSB), Roberto Santana (PRB), o Betinho, Chiquinho Telles (PSD), Gilmar da Cruz (PRB), Magali Picarelli (PMDB), João Rocha (PSDB), Carla Sthepanini (PMDB), Luiza Ribeiro (PPS), Vanderlei Cabeludo (PMDB), Waldecy Nunes (PP), o Chocolate e Paulo Pedra (PDT). Agora todas as orientações entram em votação em plenário.

Entre os temas contemplados com emendas estão: educação, saúde, social, infra-estrutura, acessibilidade, educação ambiental, economia solidária, diversidade de expressão, combate à violência, segurança, dentre outros. Romero ressalta que a Lei Orçamentária será encaminhada à Câmara Municipal até o dia 30 de setembro e é por meio dela que o executivo vai direcionar recursos e as obras previstos para 2016 como, por exemplo, infra-estrutura e serviços.

Jornal Midiamax