Política

Desembargador nega sigilo e diz que tudo indica que MPE vazou informações

Marcos Alex afirma que servidores serão punidos

Evelin Cáceres Publicado em 01/10/2015, às 14h50

None
gaeco.jpg

Marcos Alex afirma que servidores serão punidos

O desembargador Luiz Claudio Bonassini da Silva negou o sigilo das investigações pedido pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) nesta quarta-feira (30) e afirmou na decisão que “houve, portanto, vazamento, e pelo que tudo indica, através do próprio Ministério Público”.

“Não se justifica o pedido de trâmite em segredo de justiça, posto que os fatos foram levados ao conhecimento público inclusive antes do meu, pois antes mesmo de ter aberto o envelope lacrado, contendo o presente pedido, já era apresentada uma petição rogando pelo seu indeferimento”, relatou.

Outra justificativa é de que a investigação trata da conduta de agentes públicos, ou seja, as informações são de interesse de toda a população e que a divulgação dos atos não atrapalha as investigações de nenhuma forma.

O coordenador do Gaeco, Marcos Alex Vera, disse que o órgão deve investigar os servidores que possam ter vazado as informações e que eles serão punidos. Ele chegou a admitir que se as informações não tivessem vazado, Amorim e Olarte já poderiam estar presos.

Jornal Midiamax