Política

Deputados definem comissão para acompanhar Lama Asfáltica

Agora, novo grupo deve pedir documentos à PF

Midiamax Publicado em 11/08/2015, às 15h48

None
assembleia_plenario_0608.jpg

Agora, novo grupo deve pedir documentos à PF

Os deputados estaduais definiram, nesta terça-feira (11), quem serão os membros de comissão da Assembleia Legislativa criada para acompanhar a Operação Lama Asfáltica. O novo grupo deve definir os primeiros encaminhamentos nos próximos dias, principalmente para ter acesso a dados da investigação.

A comissão será formada por Lídio Lopes (PEN) e Mara Caseiro (PTdoB), representando o bloco parlamentar, além de Eduardo Rocha (PMDB), Angelo Guerreiro (PSDB) e Pedro Kemp (PT), pelas maiores bancadas. O petista sinalizou interesse em presidir o colegiado, mas não há definição neste sentido até o momento.

“Vamos nos reunir para definir a presidência e os encaminhamentos. O que a Assembleia pode fazer é acompanhar (a Lama Asfáltica)”, disse Eduardo Rocha. “Assim que instituirmos o presidente, vamos expedir os ofícios à Polícia e Receita Federal, ao Ministério Público Federal, para termos condições de analisar e avaliar (a operação)”, detalhou Pedro Kemp.

A data da primeira reunião da nova comissão ainda não foi marcada. O petista disse que a expectativa é resolver os primeiros encaminhamentos ainda no decorrer desta semana.

O foco da Operação Lama Asfáltica é um suposto esquema de desvio de verbas públicas. Funcionaria a partir de um cartel de empreiteiras gerenciado pela Proteco Construções, pertencente a João Amorim, e agiria em várias esferas do poder público com, segundo o que já foi revelado sobre as investigações, próxima ligação com o ex-governador André Puccinelli (PMDB).

Se for o caso, diz Kemp, serão solicitadas informações sobre contratos de obras do governo estadual, “porque há denúncias de irregularidades”. O presidente da Assembleia, Junior Mochi (PMDB), comentou que não há prazo para o fim dos trabalhos da comissão, até mesmo porque a Lama Asfáltica está em fase de inquérito, ou seja, em andamento, e somente após os procedimentos iniciais a casa poderá eventualmente “decidir quais outras medidas tomar”.

Jornal Midiamax