Política

Deputado propõe CPI para investigar preço de combustível

Diferença de preço na bomba entre Capital e interior, segundo deputado, ultrapassa R$ 0,60 por litro 

Heloísa Lazarini Publicado em 29/09/2015, às 17h14

None
222222323232322.jpg

Diferença de preço na bomba entre Capital e interior, segundo deputado, ultrapassa R$ 0,60 por litro 

O deputado estadual José Carlos Barbosa (PSB0, presidente da Comissão de Constituição justiça e redação da Assembleia Legislativa, propôs nesta terça-feira (29) a abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar possíveis irregularidades no preço de combustíveis cobrado em Mato Grosso do Sul.

Segundo deputado, o valor de venda de combustíveis praticado pelas distribuidoras difere na Capital e no interior, apresentando, em alguns municípios, diferença de R$ 0,30 por litro, valor superior ao adicional do frete, como é o cado de Fátima do Sul. “Conversamos com representantes do Setlog no dia audiência pública e segundo eles o valor do frete, ou seja, da distância entre capital e interior, não corresponde a mais de R$ 0,03 por litro, mas sabemos que existem distribuidoras que cobram até R$ 0,30 a mais na hora de vender combustível para postos do interior. Eu me pergunto será que os cidadãos do interior estão bancando a disputa entre postos na Capital?”.

A ideia de abrir CPI, explica deputado, surgiu depois da audiência pública realizada dia 10 de setembro, proposta por ele e pelo deputado João Grandão (PT). Durante debate, donos de postos apontaram diversos indícios de irregularidades. “Em Dourados, alguns empresários falam em cartel, em Campo Grande outros denunciam dumping, mesmo que nosso sistema econômico seja de livre concorrência, quando você vê abuso do poder econômico prevalecendo na iniciativa privada e o consumidor não tem alternativa é preciso que distribuidores expliquem qual razão para venderem com valor tão diferente”.

O requerimento deverá ser apresentado pelo deputado na próxima quinta-feira (01) e precisa da assinatura de 1/3 dos deputados para que seja aberta CPI.

Jornal Midiamax