Política

Denunciante do esquema, Paulo Telles depõe sobre cheques de Olarte

Telles foi o primeiro a ser ouvido

Evelin Cáceres Publicado em 27/11/2015, às 13h27

None
img-20151127-wa0064.jpg

Telles foi o primeiro a ser ouvido

Paulo Telles, que denunciou à Justiça o supostos esquema de troca de cheques em branco por favorecimento em licitações entre empresários e o prefeito afastado Gilmar Olarte, foi a primeira testemunha a ser ouvida nesta sexta-feira (27) pelo desembargador Luiz Cláudio Bonassini da Silva no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

Telles relatou ao desembargador que ficou sabendo das transações por alguém chamado Jéferson. “Estavam trocando cheque com agiota dentro da Prefeitura em troca de licitações, serviços ou nomeações”.

Ele afirmou que Ronan Feitosa estaria fazendo as trocas e que teria ido com Jéferson a uma residência. Lá, uma pessoa teria dado 20 cheques em branco e que Ronan andava sempre com Olarte.

“Ele (Ronan) e Luiz Márcio Feliciano, que era fotógrafo ou assessor de Olarte”, afirmou.

No total, 28 pessoas são esperadas para depoimentos nas oitivas contra Gilmar Olarte, Ronan Feitosa e Luiz Márcio Feliciano. Juntos, eles respondem pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A vice-governadora Rose Modesto estava na lista, mas conseguiu adiar o depoimento dela para 22 de janeiro de 2016. Esta também será a data do depoimento de quem não comparecer hoje.

Segundo Ministério Público Estadual, o trio deve responder por lavagem de dinheiro e corrupção passiva por ter trocado cheque em branco por promessas de cargo e outras vantagens na Prefeitura de Campo Grande.

Jornal Midiamax