Política

CPI da Enersul quer dados da Aneel e participação da bancada federal

Deputados discutirão início dos trabalhos na quinta (9)

Midiamax Publicado em 08/04/2015, às 15h09

None
reuniao_cpi.jpg

Deputados discutirão início dos trabalhos na quinta (9)

Os primeiros passos da CPI da Enersul na Assembleia Legislativa poderão levar deputados estaduais a Brasília (DF). O presidente do colegiado, Paulo Correâ (PR), disse na sessão desta quarta-feira (8) que a ideia é envolver a bancada federal de Mato Grosso do Sul na investigação, além de ter acesso a dados da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

“Queremos saber porque a Aneel fez uma intervenção na Enersul por suspeita de problemas na gestão do Grupo Rede (dono da empresa até o fim de 2013)”, diz o deputado. Segundo ele, a agência tem o relatório da PWC (Pricewaterhouse Coopers) que desencadeou no pedido de abertura da CPI.

Corrêa diz também haver dúvidas sobre a compra da Enersul pela Energisa, respostas que poderiam ser obtidas via Aneel. “Como o interventor conseguiu recuperar as finanças da empresa a ponto de conseguir vendê-la?”, questiona o presidente da CPI, analisando que estes são alguns aspectos a serem esclarecidos no início das investigações, ressaltando, ainda, a necessidade de participação dos três senadores e oito deputados federais no caso.

Denúncias levadas à Assembleia dão conta de que um suposto esquema teria desviado R$ 700 milhões da Enersul. Há, ainda, informações sobre uma lista de beneficiários com uma espécie de ‘mensalão’ na empresa. A próxima reunião da CPI está prevista para quinta-feira (9).

Jornal Midiamax