Política

Conversa de Reinaldo com Puccinelli é marcada por ‘divergências’

Puccinelli acha que atual governo erra ao falar sobre 'herança'

Midiamax Publicado em 13/02/2015, às 15h03

None
reinaldo_azambuja_-_mj_3.jpg

Puccinelli acha que atual governo erra ao falar sobre ‘herança’

No primeiro encontro que se tem notícia desde a posse, em 1º de janeiro, Reinaldo Azambuja (PSDB) e André Puccinelli (PMDB) conversaram – e divergiram – sobre a atual situação financeira do governo de Mato Grosso do Sul. “Os órgãos responsáveis vão dizer quem está com a razão”, comentou o governador tucano, durante agenda pública na manhã desta sexta-feira (13).

Reinaldo confirma que conversou com Puccinelli durante a semana. Não disse onde, nem que dia foi o encontro.

Na conversa, diz o tucano, o peemedebista questionou o sucessor sobre auditoria nas contas do governo e, também, disse entender que os empenhos liquidados pelo Executivo, até o fim da gestão anterior, são legais. “Há divergência de pensamento, porque nós entendemos que não”, complementa Reinaldo.

Trocando em miúdos, desde que assumiu o governo, o tucano reclama publicamente da ‘herança’ deixada pelo antecessor, falando de promessas não cumpridas e de rombo nas contas públicas. “O ex-governador entende que (a reclamação) é um equívoco da atual gestão, se o governo estivesse tão encrencado como ele diz, não teria pago os servidores em dia, por exemplo”, comentou, em entrevista por telefone, o deputado federal Carlos Marun (PMDB), fiel escudeiro de Puccinelli.

A gestão tucana prometeu uma devassa sobre a situação deixada pelo governo de Puccinelli. Em algumas ocasiões, Reinaldo chegou a citar o governo anterior como “irresponsável” por conta de um ‘pacote de maldades’ deixado para a nova administração, como reajustes salariais de várias categorias que passaram a vigorar este ano.

Jornal Midiamax