Política

Confusão e disputa judicial marcam eleição de sindicato na Assembleia

Uma das chapas precisou ir à Justiça para entrar na disputa

Midiamax Publicado em 18/05/2015, às 11h55

None
img-20150518-wa0025.jpg

Uma das chapas precisou ir à Justiça para entrar na disputa

Tem confusão na eleição do Sisal (Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa) na manhã desta segunda-feira (18). Uma das chapas precisou ir à Justiça para entrar na disputa, mas a atual presidência, que disputa a reeleição, teria ignorado ordem e os concorrentes prometem barrar a votação, prevista para as 16 horas.

Por enquanto, está oficialmente na disputa apenas a chapa 1, comandada pelo atual presidente, Naelor Vargas. O outro grupo, liderado por Márcia Severo, conseguiu uma liminar para participar da eleição, já que a candidata à presidência compõe, segundo consta, a diretoria da Asalmasul (Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa).

Segundo o presidente da comissão eleitoral, Ângelo Montanher, a candidata devia ter se desligado da outra entidade para poder concorrer ao sindicato. A chapa 2 conseguiu liminar na Justiça, mas a decisão foi encaminhada à presidência do sindicato, ou seja, ao candidato à reeleição, e não ao colegiado que cuida do pleito.

“O erro foi que intimaram o sindicato, sendo que há uma comissão eleitoral”, diz Naelor. Montanher diz que será seguido o trâmite normal da eleição.

Já a chapa 2 promete barrar a votação. Segundo o atual vice-presidente, Edicel Nogueira, que disputa o mesmo cargo, agora pela chapa de Márcia, o atual comando do sindicato está ignorando a ordem judicial.

Jornal Midiamax