Política

Chocolate ainda acredita que pedido de afastamento seja ‘só boato’

Ele não foi notificado

Jessica Benitez Publicado em 28/09/2015, às 23h20

None
chocolate_0.jpg

Ele não foi notificado

 O vereador Waldecy Chocolate (PP) acredita que o pedido de afastamento feito pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) aos legisladores que foram favoráveis à cassação do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), em março do ano passado, não passa de rumor. Ele não recebeu nenhum tipo de notificação e sua advogada também não esta a par da solicitação.

“Acabei de falar com o meu jurídico e não estou sabendo de nada. Acho que são só boatos, não sei se é verdade, de qualquer forma estou tranquilo”, disse. Segundo informações preliminares ele e outros 16 vereadores serão afastados da Câmara Municipal em decorrência da Operação Coffee Break que apura possível compra de votos para cassar Bernal. Todos foram ouvidos pelo Gaeco e alguns tiveram os telefones celulares recolhidos para perícia.

À época da campanha eleitoral, em 2012, Chocolate era fiel escudeiro do radialista. Mas depois dele ter votado favorável à cassação a cúpula do PP tentou expulsá-lo do partido, no qual ele permanece por força de liminar. O desentendimento entre a dupla começou quando o legislador não quis assumir a Secretária Municipal da Juventude.

Depois disso, a relação que até então parecia sólida, começou a ruir. Chocolate se distanciou da base aliada e acabou sendo favorável não só a instalação de Comissão Processante contra o chefe do Executivo, mas também pela cassação. 

Jornal Midiamax