Política

Betinho é o sexto suplente convocado e mais três podem ser chamados

Três vereadores correm risco de perder mandato

Midiamax Publicado em 30/04/2015, às 11h03

None
10639710_692393894182278_8057177940126514720_n.jpg

Três vereadores correm risco de perder mandato

O vereador Betinho (PRB) será o sexto suplente a conquistar vaga na Câmara de Campo Grande. Ele chega ao mandato após renúncia do titular, Alceu Bueno, que saiu da Câmara após envolvimento sexual com duas menores de 15 anos.  O número, já considerado alto, pode chegar a nove caso o Superior Tribunal Eleitoral (STE) mantenha a decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), que condenou Paulo Pedra (PDT), Thais Helena (PT) e Delei Pinheiro (PSD) por compra de votos. Eles estão no cargo por força de liminar.

Soma-se a Betinho os vereadores Magali Picarelli (PMDB), Dr. Loester (PMDB), Alex do PT, José Chadid (sem partido), Francisco Saci (PRTB) e Juliana Zorzo (PSC), que já ocupou vaga, mas hoje está como suplente.

O primeiro a conquistar a vaga foi Alex do PT. Ele foi beneficiado pela ida de Thais Helena (PT) para a Secretaria de Assistência Social na gestão de Alcides Bernal (PP). Ele ficou no cargo nos treze meses de gestão de Bernal, mas com a cassação voltou a ficar sem mandato.

Se para Alex a queda de Bernal foi ruim, para Magali e Dr. Loester foi bastante prudencial. A dupla ganhou a vaga com a ida de Edil Albuquerque (PMDB) para a Sedesc e Dr. Jamal (PR) para a Secretaria de Saúde.

Juliana Zorzo também teve o gosto de saber como é ter um mandato. Ela ocupou a vaga no período que Herculano Borges (PSC) atuou como secretário da Juventude de André Puccinelli (PMDB).

Outros vereadores chegaram ao posto com a eleição de Zeca do PT, Elizeu Dionizio (SD) e Grazielle Machado (PR) para os cargos de deputado. O sucesso do trio garantiu o retorno de Alex do PT e a chegada de Francisco Saci e José Chadid. 

Jornal Midiamax