Política

Bernal volta à Câmara para explicar suspeita de ‘pegadinha no IPTU’

Última reunião foi marcada por bate-boca 

Midiamax Publicado em 09/11/2015, às 10h12

None
img-20150827-wa0086.jpg

Última reunião foi marcada por bate-boca 

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), vai à Câmara nesta segunda-feira (9) falar com o presidente da Casa, Flávio César (PTdoB).  O encontro, segundo Bernal, tem por objetivo solicitar uma audiência para apresentar a planta genérica de valores para cobrança do IPTU.

A ida de Bernal acontece depois que o vereador Airton Saraiva (DEM) apresentou um extrato de um contribuinte onde o terreno, avaliado em R$ 7 mil no meio do ano, passou a ter valor venal de R$ 25 mil agora em novembro. A diferença levantou suspeita e vereadores desconfiaram de uma pegadinha para aumentar o valor do terreno para cobrar mais imposto.

Bernal nega pegadinha na cobrança do IPTU, afirmando que os carnês nem foram lançados ainda. “Estão fazendo uma grande injustiça. Os técnicos não estão fazendo nenhum golpe contra a sociedade. Vou procurar a Câmara para solicitar uma audiência e explicar detalhadamente aos vereadores e a população o que está sendo feito”, declarou.

O prefeito descarta cobrança indevida e garante aumento linear, com exceção dos casos onde o imóvel ficou mais valorizado, como chegada de asfalto ou ampliação feita pelo próprio contribuinte.

Bernal reconhece a possibilidade de alguns equívocos na cobrança, mas diz que não se trata de pegadinha e que será corrigido. Ele ressaltou que o IPTU também pode ser menor para alguns contribuintes que tiveram o imóvel desvalorizado neste período.

Esta é a primeira vez que Bernal volta à Câmara depois de uma reunião tensa com vereadores, há quinze dias. No último encontro, para falar de homens armados que entraram na Câmara, o prefeito chegou a ameaçar ir embora da reunião, dizendo que poderiam cassá-lo se quisessem. A situação acabou sendo contornada e Bernal ficou até o fim, mas com clima nada ameno. Desta vez a reunião deve acontecer apenas com o presidente, Flávio César.

Jornal Midiamax