Política

Bancada peemedebista de MS assina carta contra ‘barganha’ de ministérios

Outros 20 parlamentares aderiram ao movimento

Jessica Benitez Publicado em 01/10/2015, às 21h41

None
resende.jpg

Outros 20 parlamentares aderiram ao movimento

Deputados da bancada federal sul-mato-grossense se manifestaram contra a indicação maciça de ministérios ao PMDB, Carlos Marun e Geraldo Resende, também assinaram manifesto acerca do assunto. Mais 20 deputados peemedebistas de outros Estados aderiram ao protesto para deixar claro que a decisão de aceitar as pastas em troca da oferta de apoio à presidente da República, Dilma Rousseff (PT), não foi tomada por unanimidade. 

“Nosso posicionamento em plenário não dependerá desse tipo de barganha por cargos”, diz o manifesto. “Obviamente que esse grupo não tem compromisso de votar a favor dos vetos ou de novos impostos”, disse Marun. Além disso, parte do grupo defende o impeachment da petista.

Os deputados aproveitaram para tecer críticas ao atual governo, principalmente ao fato de Dilmar estar utilizando as pastas como moeda de troca. “Discordamos da negociação de cargos no governo a qualquer título. Não é com esse tipo de atitude que a profunda crise geral deve ser enfrentada, e sim com posturas”, diz a carta.

Hoje o PMDB tem 66 deputados federais, sendo dois de Mato Grosso do Sul. Do total um terço assinou a nota. O manifesto tem o apoio de deputados de Estados que apoiaram a presidente, como Ceará, Santa Catarina e Tocantins, e dos que fizeram campanha pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) na eleição presidencial de 2014, como Rio Grande do Sul e Bahia.

Jornal Midiamax