Política

Bancada municipal do PT condena ações de Delcídio

Por outro lado, desaprovam prisão

Jessica Benitez Publicado em 26/11/2015, às 18h36

None
alex_0.jpg

Por outro lado, desaprovam prisão

A bancada municipal do PT não concorda com a manifestação da executiva nacional, mas admite erro grave nas ações que levaram o senador Delcídio do Amaral (PT) à prisão na madrugada desta quarta-feira (25). O líder da presidente da República Dilma Rousseff (PT) no Senado é acusado de tentar obstruir investigação da Operação Lava Jato, fato que levou o STF (Supremo Tribunal Federal) a solicitar a cautelar.

O petista ofereceu 'mesada' de R$ 50 mil ao ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, além de traçar fuga ao mesmo, tudo para que não fosse citado nos depoimentos colhidos na operação. A conversa, porém, foi gravada e culminou no pedido de prisão. “Acompanhei a gravação e acho que ele errou feio. Não tenho a menor dúvida, foi um erro grosseiro e lamentável. É um diálogo comprometedor, ninguém pode dizer que não é grave”, disse Marcos Alex (PT).

No entanto, ele reprova o ato prisional sob justificativa de que caberia ao Senado abrir comissão para investigá-lo. “Esse sim seria um processo natural”. Ayrton Araújo foi mais contido nas palavras, mas não deixou de concordar com o colega. “Foi muito infeliz na fala, mesmo assim o PT tinha que ser solidário”, avaliou referindo-se à nota oficial da executiva nacional 'em desapoio a Delcídio.

O presidente da executiva, Rui Falcão, disse não ser obrigado a se solidarizar com a situação e condenou as ações do senador. O PT gaúcho, por sua vez, pediu expulsão do denunciado e também repudiou os atos praticados pelo sul-mato-grossense.

Jornal Midiamax