Política

Bancada federal unirá forças para tentar arquivar ‘unificação do ICMS’

Desafio será convencer senador Delcídio

Jessica Benitez Publicado em 10/08/2015, às 21h44

None
al_ms.jpg

Desafio será convencer senador Delcídio

Parlamentares sul-mato-grossenses estão divididos quanto à medida provisória que visa a unificação do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) em todo o Brasil. O texto tramita no Senado. Hoje, durante audiência pública acerca do tema na Assembleia Legislativa, os senadores Waldemir Moka e Simone Tebet, ambos do PMDB, anteciparam serem contra a MP e têm o desafio de convencer o colega de bancada, Delcídio do Amaral (PT), que é líder da Presidente da República na Casa de Leis e, por isso, favorável à unificação.

Os contrários à medida dizem que Mato Grosso do Sul ira à falência caso haja aprovação, pois afastará futuros investidores, principalmente as indústrias que almejam se instalar no Estado. “Essa medida vai quebrar o Estado, os municípios, vai prejudicar os investimentos em Mato Grosso do Sul”, disse o deputado estadual Eduardo Rocha (PMDB) propositor da audiência.

O peemedebista contou que a Femércio (Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul), da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), bem como do Governo do Estado são contra à MP. 

“Todos que estavam na audiência foram unânimes, todos são contra a medida. Amanhã vou documentar tudo que foi discutido hoje e mandar para o Congresso”, contou. As pontes serão justamente Moka e Simone. “Ele (Delcídio) é a favor, mas vamos convencê-lo porque o Estado vai perder cerca de R$ 1 bilhão por ano se passar (o texto)”, disse. 

Jornal Midiamax