Política

Bancada de MS na Câmara se divide em relação a financiamento de campanha

Deputados seguem orientação nacional dos partidos em relação a veto presidencial 

Heloísa Lazarini Publicado em 30/09/2015, às 19h18

None
dagoberto.jpg

Deputados seguem orientação nacional dos partidos em relação a veto presidencial 

Depois que a presidente Dilma Rousseff (PT) vetou doação de campanha por parte de empresas privadas, partidos de oposição na Câmara dos Deputados obstruíram sessão desta quarta-feira (30) para impedir que veto entre em votação enquanto, nos bastidores, articulam com vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), possível acordo com presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) para que a PEC 113/15, que trata de financiamento de empresas para partidos e campanhas políticas, seja inclusa na pauta de votação. A proposta já foi aprovada pelos deputados e está “travada” no Senado.

Colocar PEC em votação no Senado é manobra alternativa, encontrada pelos defensores da proposta, para garantir que financiamento de campanha continue sendo feito, também, por empresas privadas, já que é grande a chance que o veto presidencial seja mantido pelos deputados, o que tem esquentado clima em Brasília na tarde desta quarta-feira (30).

“Aqui tá pegando fogo. Acho que vamos manter veto sim, pois para derrubar são precisos 257 votos”, diz o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT).

Já o deputado federal Carlos Marun (PMDB) é contrário à opinião de Dagoberto, e segue linha do PMDB, incluindo vice-presidente, e antecipa que partido irá brigar pela derrubada do veto na Câmara Federal. “Como um todo, o PMDB defende a derrubada do veto, não sei se irá ainda hoje a plenário, mas temos que derrubar.”

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax tentou conversar com os deputados Elizeu Dionísio (SD), Tereza Cristina (PSB), Geraldo Resende (PMDB); Luis Henrique Mandetta (DEM) e Vander Loubet (PT), mas nenhum dos parlamentes atendeu as ligações até fechamento desta matéria. Já o deputado federal Zeca do PT atendeu, mas disse estar em reunião e só poderá falar com imprensa no final do dia.  

Jornal Midiamax