Política

Azambuja garante que nomes de peso voarão para ninho tucano

O ex-deputado federal Marçal Filho é um deles

Jessica Benitez Publicado em 16/06/2015, às 21h11

None
azambuja.jpg

O ex-deputado federal Marçal Filho é um deles

Mesmo sem querer falar sobre a eleição de 2016, o governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), adiantou que, além do ex-deputado federal Marçal Filho (PMDB), muitas outras lideranças de peso voarão para o ninho tucano no próximo sábado (20), quando ocorre convenção regional do PSDB sul-mato-grossense. O atual presidente, deputado federal licenciado e secretário de Estado de Fazenda, Márcio Monteiro, será reconduzido à função e entra no segundo mandato consecutivo e novos quadros serão filiados.

“Está confirmada a vinda de Marçal que somará muito. Outras lideranças estão vindo também, vamos ter muitas filiações de importantes lideranças na convenção estadual no dia 20”, contou sem citar nomes, durante entrevista ao programa Tribuna Livre hoje pela manhã. Nos bastidores a informação é de que Marçal será o presidente municipal da sigla em Dourados, além de candidato à prefeitura da cidade.

O ex-deputado se elegeu na Câmara Federal pela primeira vez pelo PSDB, mas acabou mudando para o PMDB. Agora, diante da inviabilidade do projeto de lançar candidatura, ele retorna à legenda e pode enfrentar o então correligionário, deputado federal e dirigente do PMDB douradense, Geraldo Resende. O embate entre peemedebistas e tucanos pode protagonizar também o pleito de Três Lagoas. Isso porque os deputados estaduais Eduardo Rocha (PMDB) e Ângelo Guerreiro (PSDB) já pleiteiam ser postulantes no município.

No entanto, Azambuja prefere não antecipar nenhum detalhe de 2016. Ele segue com discurso de fortalecimento do partido até setembro deste ano, prazo em que os interessados em entrar na disputa eleitoral têm para mudar de partido. “Até setembro a gente se fortalece e juntos vamos apresentar bons nomes a Mato Grosso do Sul”, garantiu. Outro fator determinante para traçar novos rumos será a Reforma Política, projeto que na opinião do chefe do Executivo está confuso.

“Não sabemos como serão as regras em 2016. Está uma confusão na Câmara (dos Deputados), não dão conta de votar um projeto consistente e ainda vai pro Senado, vamos ver o que vão fazer”, opinou. Até que as regras do jogo fiquem claras, Azambuja orienta a equipe de trabalho a focar no Governo do Estado, pois tem consciência de que algumas áreas precisam de mais atenção. “A gente reconhece que alguns setores estão falhando, mas estamos estudando para torná-los mais efetivos à população”, finalizou.

Jornal Midiamax