Política

Após suspender licitados, Bernal fará contrato emergencial para tapa-buraco

Serviço será anunciado na quarta-feira

Jessica Benitez Publicado em 09/10/2015, às 12h42

None
buraco.jpg

Serviço será anunciado na quarta-feira

Na próxima quarta-feira (14) o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), anunciará cronograma de ‘tapa-buraco’ emergencial, que não exige licitação, para amenizar a situação das ruas da cidade. O serviço oficial e licitado foi suspenso no dia 9 de setembro junto a todos os contratos consideração não essenciais, sob justificativa de não haver dinheiro em caixa, diante da crise financeira que o Executivo enfrenta. Agora equipes formadas por integrantes do Município farão força-tarefa.

“Será um trabalho emergencial, uma força-tarefa com recursos da Prefeitura para resolver essa situação”, disse sem detalhar quanto será o investimento. A assessoria informou que Bernal foi ao Ministério Público para ser assessorado sobre o assunto. 

Em 2014, Bernal enfrentou uma Comissão Processante na Câmara por ter trocado os serviços licitados por emergenciais. Em decisão de primeiro grau, o juiz afirmou que Alcides teria fabricado a emergência para contratar serviços sem licitação. 

Com período de chuvas, os bairros foram tomados por buracos e a população tem cobrado resolução. Tanto que ontem (8) os vereadores pediram resposta urgente do prefeito acerca do problema.

No tempo dedicado às indicações os parlamentares dedicaram-se exclusivamente a pedir tapa-buracos. Herculano Borges (SD), por exemplo, falou que “a cidade está esburacada” e o serviço precisa ser feito em todos os bairros.“Tem de retomar o tapa-buracos o mais rápido possível. A situação de algumas ruas destrói carros, provoca acidentes”, ponderou José Chadid (sem partido).

Até mesmo avenidas bastante usadas para trafego de veículos e pessoas estão esburacadas como é o caso da Eduardo Elias Zahran com a Rua Santana, bem como Bandeirantes com a Rua 26 de Agosto. A Avenida das Bandeiras, que foi recapeada em agosto de 2013 na primeira fase da gestão de Bernal, também tem buracos, um de grande proporção.

Jornal Midiamax