Política

Após protestos de professores, Câmara tem primeira sessão calma depois de recesso

Sessão na Casa de Leis ainda não começou

Midiamax Publicado em 12/08/2015, às 12h57

None
unnamed_1.jpg

Sessão na Casa de Leis ainda não começou

Diferente do registrado desde que a Câmara Municipal de Campo Grande voltou do recesso parlamentar, em 4 de agosto, o clima na Casa de Leis é tranquilo, até o momento, nesta quarta-feira (12).  As sessões até então têm sido marcadas por protestos, em sua maioria, de professores da Reme (Rede Municipal de Educação), que estão em greve desde maio.

Na semana passada,  a sessão foi suspensa depois de meia-hora, após confusão entre guardas municipais à paisana e professores. No dia seguinte, o clima ainda era instável, com homens da Guarda Municipal na segurança do local.

Além disso, o clima calmo é registrado na véspera da votação do pedido de abertura de comissão processante contra o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, apresentado pela oposição. Na terça-feira, a base de sustentação do prefeito conseguiu aprovou a exigência de 20 votos para abertura do pedido. A oposição pedia 15 votos apenas, mas foi vencida pela maioria. Agora, Olarte precisa do voto de apenas 10, dos 29, para escapar da processante. 

Entre os motivos alegados para processante estão: denúncia de corrupção passiva, estelionato e lavagem de dinheiro, feita pelo MPE; não cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal, por falta de prestação de contas; uso de jato de empresário com contrato com a Prefeitura e por não ter apresentado balanço financeiro à Câmara.

Nesta terça-feira, a sessão ainda não começou e o plenário da Casa de Leis está praticamente vazio, com alguns vereadores chegando para a sessão.  

Jornal Midiamax