Política

Aliado de Olarte, vereador Carlão diz que vai cooperar com investigação

Ele é um dos vereadores com pedido de afastamento

Guilherme Cavalcante Publicado em 28/09/2015, às 23h35

None
carlao.jpg

Ele é um dos vereadores com pedido de afastamento

O vereador Carlos Borges (PSB), também conhecido como Carlão, afirmou que irá colaborar com a justiça, caso os pedidos de afastamento dos vereadores que votaram pela cassação de Bernal se confirmem. Ele foi um dos vereadores citados. “Acabei de saber agora pela imprensa, mas não fui informado oficialmente. Prefiro aguardar para comentar, até porque isso corre em segredo de justiça, e pode não ser o que [os jornais] estão dizendo”, afirmou o vereador.

Ao Jornal Midiamax, Carlão relatou que tem a consciência tranquila quanto a seu voto. “Votei de acordo com a conclusão da investigação. Mas mesmo assim vou colaborar com a justiça. Moro na mesma casa há 18 anos, não vou fugir daqui para canto nenhum. Se a Justiça me chamar, vou colaborar, mas também vou recorrer ao que tiver que recorrer”, disse. Carlão era um dos membros da base aliada do prefeito afastado, Gilmar Olarte.

Investigações

Nesta segunda-feira (28) foram apresentados pedidos de prisão e afastamento de vereadores de Campo Grande implicados nas investigações da Operação Coffee Break. Os pedidos de prisão são para João Alberto Krampe Amorim dos Santos e do vice-prefeito Gilmar Olarte, que está afastado do cargo de prefeito. Também está na lista o pedido de afastamento de 17 dos 23 vereadores que votaram à favor da cassação do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), em março do ano passado.

São eles: Carla Stephanini, Edil Albuquerque, Paulo Siufi, Vanderlei Cabeludo, todos do PMDB, Eduardo Romero, Otávio Trad e Flávio César, do PTdoB, Delei Pinheiro, Chiquinho Telles e Coringa, do PSD, Gilmar da Cruz (PRB), Edson Shimabukuro (PTB), Jamal Salem (PR), Waldecy Chocolate (PP), Airton Saraiva (DEM), João Rocha (PSDB) e Carlos Borges (PSB).

Jornal Midiamax