Política

A um ano das convenções, partidos já enfrentam guerra entre pré-candidatos

PT, PMDB, PDT, PTdoB e PR enfrentam fogo amigo

Midiamax Publicado em 24/06/2015, às 10h05

None
unnamed_125.jpg

PT, PMDB, PDT, PTdoB e PR enfrentam fogo amigo

Ainda falta pouco mais de um ano para os partidos definirem quem serão os candidatos em 2016. Mas, interesses de lideranças já estão em conflito e apimentam diariamente a relação nos grandes partidos de Mato Grosso do Sul. PT, PMDB, PDT e PR já enfrentam saias justas na pavimentação do caminho para as eleições.

O PMDB é o partido onde a divisão está mais clara até o momento. Mas, também pode ter uma solução mais rápida. O deputado Marquinhos Trad (PMDB) é pré-candidato a prefeito, mas já avisou que não fica no partido para a disputa. Ele e os irmãos, Fábio Trad e Nelsinho Trad, não se entendem com André Puccinelli (PMDB), o que divide a sigla. Porém, o problema pode ser resolvido com a saída da família Trad ainda neste ano.

O PT também enfrenta a velha rivalidade entre Zeca do PT e Delcídio do Amaral (PT). Zeca já vinha reclamando da má vontade de Delcídio de cobrar cargos do Governo Federal para o Estado e ficou ainda mais descontente quando Ruiter Cunha anunciou saída do partido. O deputado culpou Delcídio e o presidente estadual do PT, Paulo Duarte, pela perda.

Zeca também anunciou que é pré-candidato a Prefeitura de Campo Grande, mas sem deixar de alfinetar Delcídio. Ele afirmou que só será candidato se o PT, incluindo Delcídio e o grupo dele, o apoiar. Ele ressaltou que não teve sucesso em 2010 porque Delcídio e o grupo dele apoiou outro candidato. Como as duas lideranças pretendem se candidatar em 2018, esta briga ainda deve durar alguns anos.

O PR também pode enfrentar problemas entre Edson Giroto (PR) e o atual presidente, ex-deputado Londres Machado (PR). A brita pode ocorrer por conta da Prefeitura de Campo Grande. Isso porque Giroto só quer fechar parceria com Reinaldo Azambuja (PSDB) no interior se o governador lhe apoiar na disputa pela Prefeitura de Campo Grande, abrindo mão de candidatura do PSDB.

No PDT o clima também é bastante quente. Deputados estaduais não se entendem com Dagoberto Nogueira (PDT) e não o aceitam como presidente estadual.  Para piorar ainda mais a relação, Dagoberto, Beto Pereira (PDT) e Felipe Orro (PDT) estão dispostos a concorrer a Prefeitura de Campo Grande, o que deve colocar mais fogo nesta relação.

O PTdoB também deve enfrentar muita polêmica até a convenção. Marcio Fernandes já anunciou intenção de concorrer, mas deve ter pelo caminho a colega de Assembleia, deputada Mara Caseiro, que também colocou o nome à disposição. A dupla, que já não tem um bom relacionamento no dia a dia na Casa, pode externar a briga na convenção. 

Jornal Midiamax