Política

Vereadores fazem moção de protesto a ministro da saúde por restringir exame de tratamento de câncer

Os vereadores Luisa Ribeiro (PPS) e Airton Araújo (PT) apresentaram hoje (18) na Câmara, monção de protesto ao ministro da saúde Arthur Chioro por conta da portaria nº 1253, de 12 de novembro de 2013. A portaria dificulta o acesso ao exame de mamografia bilateral para o tratamento de câncer de mulheres de até 49 […]

Arquivo Publicado em 18/02/2014, às 15h29

None

Os vereadores Luisa Ribeiro (PPS) e Airton Araújo (PT) apresentaram hoje (18) na Câmara, monção de protesto ao ministro da saúde Arthur Chioro por conta da portaria nº 1253, de 12 de novembro de 2013. A portaria dificulta o acesso ao exame de mamografia bilateral para o tratamento de câncer de mulheres de até 49 anos.

O projeto foi aprovado por 18 votos a 2. Apenas Alex do PT e Zeca do PT votaram contra. Paulo Siufi (PMDB), que é médico, lembrou que o câncer nos seios é um dos que mais mata. “É inaceitável o Governo Federal, que tem que cuidar da saúde pública, restrinja um exame que pode salvar vidas”, disse.

Zeca considerou a monção de repúdio descabível. “Nunca antes neste país um governo teve tanta repercussão social. O que o novo ministro fez foi um reordenamento”, declarou.

Luisa ressaltou que a questão não é partidária. “Mesmo se o ministro fosse do PPS eu faria a moção. Estamos em defesa das mulheres”.

A moção cita que a portaria, além de diminuir o repasse da união para exames de mamografia, libera apenas a realização de mamografia unilateral, cujo exame não serve para diagnostico do câncer e sim para acompanhamento, quando já há tratamento na paciente para esta doença.

Ainda é listado na moção que a doença é a principal causa de morte no Brasil e no mundo entre mulheres de até 49 anos. Segundo o Instituto Nacional do Câncer, devem ser diagnosticados 57 mil novos casos de câncer de mama em 2014. Estimativa do Orgão Mundial da Saúde coloca em 24 milhões o número de atingidas pela doença até 2035.

Jornal Midiamax