Política

Vereador diz que Comissão Processante que investiga Bernal não pode acabar em ‘pizza’

O vereador Elizeu Dionizio (SDD) afirmou que os trabalhos da Comissão Processante precisam ser concluídos para o Legislativo dar continuidade à fiscalização do Executivo. Na avaliação dele, se a Justiça mantiver suspensa a comissão os órgãos fisclaizadores perdem seu valor. “Do que valeu a fiscalização da Câmara Municipal se quando foi para concluir fomos impedidos”, […]

Arquivo Publicado em 04/03/2014, às 14h03

None
403930390.jpg

O vereador Elizeu Dionizio (SDD) afirmou que os trabalhos da Comissão Processante precisam ser concluídos para o Legislativo dar continuidade à fiscalização do Executivo. Na avaliação dele, se a Justiça mantiver suspensa a comissão os órgãos fisclaizadores perdem seu valor.


“Do que valeu a fiscalização da Câmara Municipal se quando foi para concluir fomos impedidos”, afirmou o vereador.


Elizeu ainda criticou os mecanismos utilizados pelo prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), para mantê-lo no cargo mesmo com evidências de irregularidades na administração progressista. “A condição é respaldada por instrumentos para mantê-lo no cargo”, pontuou.


Além dos instrumentos utilizados por Bernal, o vereador acusou o prefeito de cooptar vereadores apenas para assegurá-lo no comando. “Ao invés do prefeito fazer o correto, ele coopta pessoas e partidos para segurar ele no cargo. Não é para auxílio adminsitrativo, mas para manutenção no cargo”, enfatizou.


A Câmara Municipal entrou com recurso especial no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para a retomada da Comissão Processante que está suspensa desde o dia 26 de dezembro, dia na sessão de julgamento do prefeito. A decisão do relator, o presidente Felix Fischer, que recebeu o processo na última sexta-feira (28), é aguardada para a próxima semana.

Jornal Midiamax