Vereador cobra instituição de fundo para subsidiar gratuidades do transporte coletivo

A Câmara Municipal tem de ‘correr’ para instituir, até setembro, o fundo municipal que vai subsidiar as gratuidades do transporte coletivo urbano de Campo Grande. A ideia é diminuir o impacto dos benefícios no custo da passagem. O vereador Eduardo Romero (PTdoB) cobrou dos colegas, na sessão desta terça-feira (5), que a medida entre em […]
| 05/08/2014
- 18:11
Vereador cobra instituição de fundo para subsidiar gratuidades do transporte coletivo

A Câmara Municipal tem de ‘correr’ para instituir, até setembro, o fundo municipal que vai subsidiar as gratuidades do transporte coletivo urbano de Campo Grande. A ideia é diminuir o impacto dos benefícios no custo da passagem.

O vereador Eduardo Romero (PTdoB) cobrou dos colegas, na sessão desta terça-feira (5), que a medida entre em discussão na casa. “Corremos o risco de ter uma tarifa mais cara”, alertou.

Atualmente, 27% dos usuários do sistema contam com algum tipo de gratuidade. O subsídio é feito, de certa forma, improvisadamente, ou seja, não há um artifício legal destinado somente para este fim.

Na sexta-feira (1º), o prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP), disse ter definido com as empresas de ônibus que o preço da tarifa, este ano, não será reajustado. Até dezembro, o município vai usar parte do duodécimo da própria Câmara Municipal para bancar as gratuidades e segurar o aumento.

A ideia é de que o fundo municipal, quando instituído, faça gradativamente a compensação total das gratuidades do sistema de transporte coletivo urbano. Assim, começaria com subsídio de 25%, aumentando anualmente até chegar aos 100%.

Veja também

Serviço de locação do buffet custará R$ 49,5 mil ao Tribunal

Últimas notícias