Política

‘Soldado de André’, Vanderlei Cabeludo engrossa time de dissidentes do PMDB

Acompanhando o governador do Estado, André Puccinelli, ele disse na manhã desta terça-feira (3) que não fará diferente nas próximas eleições, mantendo fidelidade ao líder peemedebista.

Arquivo Publicado em 03/06/2014, às 13h45

None
1354181812.jpg

Acompanhando o governador do Estado, André Puccinelli, ele disse na manhã desta terça-feira (3) que não fará diferente nas próximas eleições, mantendo fidelidade ao líder peemedebista.

Se depender do vereador Vanderlei Cabeludo, o racha no PMDB de Mato Grosso do Sul acaba de ganhar mais um “soldado”. Acompanhando o governador do Estado, André Puccinelli, ele disse na manhã desta terça-feira (3) que não fará diferente nas próximas eleições, mantendo fidelidade ao líder peemedebista.

Ocorre que Puccinelli já declarou e reiterou apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT), enquanto o pré-candidato do PMDB à sucessão estadual, Nelsinho Trad, diz que abrirá palanque a Eduardo Campos (PSB). O governador amenizou o tom recentemente e diz que não quer rachar o partido, mas, assim como Cabeludo, deve levar com ele mais fiéis apoiadores dissidentes.

“Sou soldado do André. Onde ele for, eu vou junto”, sentenciou Cabeludo, durante a sessão desta manhã na Câmara Municipal de Campo Grande. Destacou, também, que ainda deve conversar com o governador sobre o assunto.

Nelsinho vai enfrentar o senador Delcídio do Amaral (PT) na corrida à Governadoria, o que inviabiliza sua aproximação com Dilma. Já Campos atua nacionalmente para tirar o máximo possível de peemedebistas da base apoio da petista.

O PMDB tem outros dissidentes já declarados, como o presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos. Há tempos, ele vestiu a camisa de Delcídio e já o trata, inclusive, como futuro governador.



Jornal Midiamax