Política

Puccinelli volta de Brasília mais distante do PT

Em 2010, após muita conversa, PT e PMDB em Matro Grosso do Sul se enfrentaram na disputa ao governo.

Arquivo Publicado em 15/02/2014, às 09h39

None
522673847.jpg

Em 2010, após muita conversa, PT e PMDB em Matro Grosso do Sul se enfrentaram na disputa ao governo.

Após a reunião da última quinta-feira (13) com o secretario Aloizio Mercadante o governador André Puccinelli acha que está mais distante uma aliança dos peemedebistas com os petistas, adversários históricos em Mato Grosso do Sul.

André, que tinha agenda com a presidente Dilma, mas foi recebido no Palácio do Planalto por Mercadante porque a presidente se preparava para viagem internacional, teria confidenciado a interlocutores próximos que não sentiu facilidade para a aproximação.

Mesmo assim, Puccinelli manteve mistério sobre o teor da reunião até com correligionários. Na véspera da viagem, o deputado federal Edson Giroto, aliado próximo do governador, resumiu a expectativa sobre a agenda com a presidente: “após o encontro com Dilma tudo pode mudar”.

O PT em Mato Grosso do Sul trabalha com a candidatura do senador Delcídio do Amaral para o governo do Estado. Uma das especulações seria de que André Puccinelli concorreria à vaga no Senado compondo a chapa do petista. Ambos, no entanto, já reconheceram publicamente a resistência entre correligionários para eventual aliança entre PT e PMDB em MS.

Logo após a reunião Puccinelli deixou rapidamente o Palácio do Planalto e evitou contato com a equipe do Midiamax em Brasília, deixando transparecer clima frio após a conversa com Mercadante.

Jornal Midiamax