Política

Principais cabos eleitorais no interior reclamam da indecisão do PMDB

Os vereadores do interior são os principais cabos eleitorais na disputa pela sucessão estadual. A maior reclamação é sobre a indecisão do PMDB em definir seus candidatos. Até o nome do ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, dado como certo pela cúpula do partido é considerado uma dúvida. Já o senador Delcídio do Amaral (PT) […]

Arquivo Publicado em 23/03/2014, às 11h58

None

Os vereadores do interior são os principais cabos eleitorais na disputa pela sucessão estadual. A maior reclamação é sobre a indecisão do PMDB em definir seus candidatos. Até o nome do ex-prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad, dado como certo pela cúpula do partido é considerado uma dúvida. Já o senador Delcídio do Amaral (PT) é tido como certo na eleição.

Cícero da Rocha (PMDB), de Itaquiraí, prefere aguardar as decisões do PMDB para analisar o quadro político para esta eleição. “Não dá para ter uma análise. Tem de esperar as decisões . Tá faltando eles decidirem e isso acaba atrapalhando”, afirmou o peemedebista.

Na avaliação do vereador de Caracol, Carlos Magno (PR), a briga entre PT e PMDB vai ser acirrada no município, mesmo com a indefinição do PMDB até o momento. “Vejo o quadro do PT definido. O PMDB ainda vai ter muita negociação. Acho que Delcídio é o favorito, mas vai ter embate com PMDB”, considerou.

Em Nova Andradina, onde o prefeito Roberto Hashioka (PMDB) declarou apoio ao candidato petista, os vereadores estão divididos, segundo Ricardo Lima (DEM). “A Câmara é dividida. É uma questão pessoal e não tem questão partidária”, pontuou o democrata.

O também democrata Eliaquim Schausst, de Vicentina, afirmou que vai apoiar Delcídio por falta de outro nome. “Talvez por simpatia ou por falta de outro nome consistente”, considerou o vereador. Segundo ele, o quadro pode mudar quando Nelsinho for ao município com o governador.

“Nelsinho nunca foi, talvez por causa da distância. Mas não sabemos quando ele for com André”, completou. 

Outra consideração dos vereadores foi a cassação do ex-prefeito da Capital, Alcides Bernal (PP). Para eles, este acontecimento poderá influenciar na disputa eleitoral. “Há um ano, não tinha adversário para Delcídio, agora mudou. A cassação pode prejudicar (o petista)”, disse o vereador de Rio Negro, Helio de Rezende (PMDB).

Chapa branca

O tucano de Alcinópolis, Ney Pereira, disse que a definição no município por apoiar o candidato petista foi por afinidade, apesar dos partidos terem de enfrentar as nacionais para selarem a aliança no Estado. “Nós já tínhamos definido por afinidade”, resumiu.

Já o vereador de Novo Horizonte do Sul, Elmar Passo (Pros), vai apoiar o petista, mas ainda diz acreditar em chapa única. “Vai embolar tudo e vai dar chapa única”, afirmou. Na avaliação dele, chapa branca é positivo. “Chapa branca é positivo. Quando é só partidário não dá certo”, acrescentou.

Jornal Midiamax