PMDB faz quatro representações contra Bernal sob alegação de invasão de horário eleitoral

Advogado da coligação MS Cada Vez Melhor (PMDB, PSB, PTdoB, PSC, PHS, PRB,PRTB, PTN PEN), Ary Raghiant Neto entrou com três representações judiciais nesta quarta-feira (20) e outra nesta quinta-feira (21) contra o candidato ao Senado Alcides Bernal (PP). A alegação jurídica é de que o candidato teria invadido o horário eleitoral dos candidatos a […]
| 21/08/2014
- 16:47
PMDB faz quatro representações contra Bernal sob alegação de invasão de horário eleitoral

Advogado da coligação MS Cada Vez Melhor (PMDB, PSB, PTdoB, PSC, PHS, PRB,PRTB, PTN PEN), Ary Raghiant Neto entrou com três representações judiciais nesta quarta-feira (20) e outra nesta quinta-feira (21) contra o candidato ao Senado Alcides Bernal (PP). A alegação jurídica é de que o candidato teria invadido o horário eleitoral dos candidatos a deputados estaduais, federais e do candidato ao governo pelo PP.

O advogado informou que as invasões aconteceram tanto no horário da televisão quanto no do rádio e cada bloco de aparição implicou em uma representação. “Ele está usando o espaço dos outros candidatos para se promover e não age como um mero apresentador ou representante de partido porque ele também é candidato. Ele também cita golpe na prefeitura, fazendo referência as eleições da prefeitura. Isso tudo é irregular, é uma autopromoção”, destacou o advogado.

A coligação se baseou em outros pareceres da justiça eleitoral neste sentido. “Caso ele insista neste tipo de programa vamos pedir a suspensão do horário destinado a ele enquanto candidato ao Senado”, afirmou.

Para Bernal, não há irregularidade nas suas aparições. “Sou presidente do partido e falo como tal na propaganda. Apresento os candidatos do nosso partido. Mas o PMDB, que cometeu um crime ao me tirar da prefeitura e tentou tirar minha candidatura agora quer tirar também a propaganda do meu partido do ar”, alegou.

O candidato do PP diz que age na forma da lei e como dirigente partidário. “Eles querem impedir que a população saiba das nossas propostas progressistas. Entendo que o poder judiciário vai fazer o que é correto. Eu não pedi voto para mim, apresentei os candidatos e confio na justiça”, alegou.

Veja também

Últimas notícias