Política

No primeiro ano de Bernal, receita líquida de Campo Grande cresce apenas 3,16%

O primeiro ano do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), foi marcado por crescimento de 3,16% da receita líquida do município, totalizando R$ 2.510.046.953,04, segundo a prestação de contas do secretário de Finanças, Wanderlei Bem Hur. Nos anos anteriores o índice crescimento variava de 13 a 15%. Segundo o secretário, a justificativa para o […]

Arquivo Publicado em 21/02/2014, às 16h31

None
1249228694.jpg

O primeiro ano do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), foi marcado por crescimento de 3,16% da receita líquida do município, totalizando R$ 2.510.046.953,04, segundo a prestação de contas do secretário de Finanças, Wanderlei Bem Hur. Nos anos anteriores o índice crescimento variava de 13 a 15%.


Segundo o secretário, a justificativa para o crescimento bem abaixo em relação aos anos anteriores foi a redução do repasse do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviço (ICMS) e impactou a economia do município.


“É conseqüência de vários fatores, mas o mais determinante é a diminuição nas transferências do ICMS. Campo Grande teve uma perda significativa. Esse não é o único motivo, mas é o principal”, afirmou o secretário.


Bem Hur atribuiu o decréscimo à criação do 79º município de Mato Grosso do Sul, Paraíso das Águas. Para o secretário, além de diminuir o repasse do ICMS, o montante ainda teve de ser mais dividido.


“Nossa maior fonte de receita são essas transferências de ICMS. Essa redução se deve também pela criação de mais um município, o que divide ainda mais o recurso do ICMS que é único, para dividir com todos os 79 municípios do Estado”, finalizou.

Jornal Midiamax