Política

Metade dos vereadores de Campo Grande deve disputar as eleições de outubro

Pelo menos 15 tem a intenção de ir para a disputa eleitoral como candidatos ou se colocaram à disposição do partido para este fim.

Arquivo Publicado em 08/02/2014, às 12h02

None
43412001.JPG

Pelo menos 15 tem a intenção de ir para a disputa eleitoral como candidatos ou se colocaram à disposição do partido para este fim.

A eleição é estadual, mas os parlamentares municipais também vão para as urnas. Dos 29 vereadores de Campo Grande, pelo menos 15 tem a intenção de ir para a disputa eleitoral de outubro como candidatos ou se colocaram à disposição do partido para este fim.

O Midiamax ouviu a opinião de 23 parlamentares municipais. Na maior parte dos casos, a reportagem falou com o próprio vereador. Em outros, com a assessoria de imprensa.

Treze declararam ter a intenção de serem candidatos e outros dois se colocaram à disposição do partido para a disputa. Apenas seis vereadores disseram não ter a pretensão de concorrer. E dois afirmaram ainda não saber se serão candidatos.

A maior parte dos vereadores-candidatos pretende disputar uma vaga na Assembleia Legislativa, mas alguns querem alçar voo ainda mais alto e chegar até Brasília, na Câmara dos Deputados.

São pré-candidatos a deputado estadual o atual presidente da Câmara, Mario Cesar (PMDB), e os vereadores Paulo Siufi (PMDB), Airton Saraiva (DEM), Vanderley Cabeludo (PMDB), Cazuza (PP), Grazielle Machado (PR), Alceu Bueno (PSL) e Engenheiro Edson (PTB).

Apesar de se declarar pré-candidata, Grazielle Machado depende de uma decisão do pai, o deputado Londres Machado. Ela só irá para a disputa se ele não for concorrer à reeleição. Recordista nacional em mandatos consecutivos (11) e presidente regional do PR, Londres não confirma que vai deixar de concorrer e mantém o mistério.

Outros vereadores não deverão enfrentar a mesma dificuldade. Esse é o caso do vereador Alceu Bueno, que é presidente do PSL, e não tem dúvidas de que será candidato. Edson Shimabukuro e Mario Cesar também dizem ter certeza de que irão para a disputa.

Destino Brasília – Para a Câmara dos Deputados, são pré-candidatos os vereadores Zeca do PT, Carlão (PSB), Coringa (PSD), Professor João Rocha (PSDB) e Flávio César (PTdoB). Professora Rose (PSDB) também não descarta a possibilidade de concorrer ao cargo. A única certeza dela é de que não disputará uma vaga na Assembleia Legislativa.

O candidato será o irmão dela, o deputado Professor Rinaldo Modesto (PSDB), que neste ano deixará a Casa de Leis por conta do retorno do deputado Carlos Marun (PMDB), hoje secretário de Habitação. Marun deixará o governo do Estado para novamente ser candidato.

Além da Professora Rose, o time dos indecisos conta também com o vereador Paulo Pedra (PDT), que garante não saber se será candidato nas eleições de outubro.

Da lista de candidatos a deputado federal, o mais experiente é o vereador Zeca do PT, que foi governador de Mato Grosso do Sul por dois mandatos (1999-2006). Ex-presidente do Sindicato dos Bancários e um dos fundadores do PT no Estado, Zeca foi também deputado estadual.

Fora da disputa – Mas tem vereador experiente dizendo que não quer concorrer. Este é o caso de Edil Albuquerque (PMDB), que já foi presidente da Câmara Municipal e um dos principais secretários da gestão Nelsinho Trad à frente da Prefeitura de Campo Grande, e de Alex do PT, que já  é secretário de governo na gestão Zeca.

Também não querem concorrer os vereadores Chiquinho Teles (PSD), Carla Stephanini (PMDB), Chocolate (PP) e Luiza Ribeiro (PPS). Já os vereadores Eduardo Romero (PTdoB) e Otávio Trad (PTdoB) dizem não querer concorrer, mas fazem questão de lembrar que estão à disposição do partido.

Jornal Midiamax