Política

Líder do PT vai propor pauta positiva para superar divergências com PMDB

O líder do PT, deputado Vicentinho (SP), anunciou nesta segunda-feira (10) que vai propor uma pauta positiva que destrave as votações no Plenário da Câmara dos Deputados e supere as divergências entre o PT e o PMDB. Vicentinho não acredita que o PMDB, que tem 75 deputados, saia da base governista. Ele disse que essa […]

Arquivo Publicado em 11/03/2014, às 01h38

None

O líder do PT, deputado Vicentinho (SP), anunciou nesta segunda-feira (10) que vai propor uma pauta positiva que destrave as votações no Plenário da Câmara dos Deputados e supere as divergências entre o PT e o PMDB.

Vicentinho não acredita que o PMDB, que tem 75 deputados, saia da base governista. Ele disse que essa discussão não é individual e respaldou seu otimismo em declaração de Michel Temer, presidente licenciado do partido.

“Primeiro uma declaração cabal do vice-presidente, Michel Temer, que foi muito objetivo quando disse que a aliança do PMDB com o nosso governo não depende de A ou de B, mas depende sobretudo da convenção partidária. E informações que nos dão de que a maioria dos deputados querem continuar juntos nessa caminhada”, disse o líder do PT.

Já o líder do PMDB na Câmara, deputado Eduardo Cunha (RJ), defendeu, na semana passada, a realização de uma convenção nacional do partido para decidir um possível rompimento com o governo. Cunha também diverge do governo por ser favorável a uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) da Petrobras e contra o projeto do marco civil da internet (PL 2126/11).

Dilma e PMDB

Vicentinho afirmou que a solução para o conflito está sendo tratada como se deve – entre os dirigentes dos partidos e a Presidência da República. “A conversa, no caso do PMDB, no patamar nacional, tem que se dar no nível de direção, como também no caso do PT”, afirmou.

A presidente Dilma Rousseff realizou reunião nesta segunda-feira da qual participaram como representantes do PMDB o vice-presidente, Michel Temer; os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e do Senado, Renan Calheiros; o presidente do PMDB, Valdir Raupp; e os líderes do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, e do governo no Senado, Eduardo Braga. A reunião foi vista como uma tentativa de isolar Cunha.

Eduardo Cunha disse, no entanto, que tentar isolá-lo é um erro do governo porque ele não representa uma posição pessoal. “A minha posição sempre será da maioria da bancada. Se engana quem acha que eu tenho uma posição pessoal. Por isso, quando eu falo que querem tentar isolar o líder, estarão tentando isolar a bancada. Porque eu jamais decidirei diferente do que a maioria da bancada assim decidir”, declarou.

Cunha convocou a bancada de seu partido na Câmara para uma reunião nesta terça-feira (11).

Jornal Midiamax