Política

Justiça multa Nelsinho Trad em R$ 20 mil por propaganda eleitoral antecipada

Nelsinho participou de 4 eventos oficiais do Programa Estadual Escola para o Sucesso depois de ter se descompatibilizado do cargo de Secretário. O pré-candidato não apenas foi ao evento, mas subiu no palanque ao lado de Puccinelli.

Arquivo Publicado em 18/06/2014, às 14h35

None
324026544.jpg

Nelsinho participou de 4 eventos oficiais do Programa Estadual Escola para o Sucesso depois de ter se descompatibilizado do cargo de Secretário. O pré-candidato não apenas foi ao evento, mas subiu no palanque ao lado de Puccinelli.

O pré-candidato a governador Nelson Trad Filho (PMDB) foi multado pela Justiça em R$ 20 mil por propaganda eleitoral antecipada. A decisão, assinada pelo juiz auxiliar Emerson Cafure, foi publicada no Diário da Justiça Eleitoral desta quarta-feira (18).

Segundo a representação ajuizada pelo diretório regional do PT, Nelsinho participou de quatro eventos oficiais do Programa Estadual Escola para o Sucesso depois de ter se descompatibilizado do cargo de Secretário de Estado. O pré-candidato não apenas foi ao evento, mas subiu no palanque ao lado das autoridades como o governador André Puccinelli, também do PMDB, e participou da entrega de prêmios aos alunos em diversas cidades, diz a denúncia.

Foram comprovadas as presenças de Nelsinho nos eventos oficiais do governo no dia 25 de abril, em Ponta Porã; 28 de abril, em Dourados e em Fátima do Sul; e no dia 29, em Aquidauana. Antes do dia 5 de julho do ano da eleição nenhuma forma de propaganda eleitoral é permitida.

“Como se vê, é flagrante a gravidade da conduta caracterizadora de propaganda antecipada, vedada pela Lei Eleitoral, ante a ruptura do princípio da igualdade de oportunidade entre os candidatos no certame eleitoral”, afirmou o juiz eleitoral.

“É de se notar que da publicidade questionada sobressaem elementos capazes de persuadir o eleitorado através da autopromoção do representado, que pública e notoriamente é pré-candidato, de modo a incutir a ideia de que ele, por ser ligado à máquina administrativa atual, é o mais apto ao exercício do cargo de Governador deste Estado, influenciando com isso o eleitorado”, prosseguiu, em sua decisão.

O magistrado entendeu ainda que as alegações de Nelsinho no sentido de que não teria proferido discurso não são capazes de afastar a quebra da isonomia de oportunidades em relação aos demais pré-candidatos ao cargo de governador, “porque o conjunto dos fatos por si só já caracterizam o ilícito”.

Nelsinho tem 30 dias para promover o pagamento integral da multa. Apesar de ter sido publicada somente hoje, a decisão é do dia 10 de junho. Um dia após essa decisão, Nelsinho participou de um novo evento oficial, a entrega das chaves dos apartamentos do residencial Nelson Trad, no Jardim Carioca, em Campo Grande. Só que desta vez, Nelsinho preferiu não subir no palanque e escalou a filha para representá-lo.

Naquele evento, o deputado Carlos Marun, também do PMDB e outro pré-candidato, deixou cartão de parabéns e calendário em cada uma das residências com a sua imagem e assinatura.

Outro lado

– Questionado sobre a decisão, Nelsinho Trad respondeu que irá recorrer. “Nunca fiz propaganda antecipada. E vou provar à Justiça”, disse. A declaração foi feita há pouco, após reunião no diretório estadual do PMDB.

Jornal Midiamax