Política

Justiça Eleitoral veta canais do Youtube considerados ofensivos a candidatos de MS

Na mesma linha do que tem ocorrido com relação a páginas do Facebook, os olhos da Justiça Eleitoral agora voltaram-se para o Youtube. Por força judicial, dois canais terão de ser removidos do site de vídeos mais famoso do mundo. A decisão foi publicada na tarde desta quinta-feira (11) no mural eletrônico do TRE (Tribunal […]

Arquivo Publicado em 11/09/2014, às 21h12

None

Na mesma linha do que tem ocorrido com relação a páginas do Facebook, os olhos da Justiça Eleitoral agora voltaram-se para o Youtube. Por força judicial, dois canais terão de ser removidos do site de vídeos mais famoso do mundo.

A decisão foi publicada na tarde desta quinta-feira (11) no mural eletrônico do TRE (Tribunal Regional Eleitoral). A representação foi movida pela coligação Novo Tempo, encabeçada pelo PSDB, na qual o deputado federal Reinaldo Azambuja é candidato ao governo estadual.

Conforme a denúncia, os canais Enganando MS e Juan Paz foram criados para veicular matérias ofensivas a Reinaldo. “(…)Vê-se que existem expressões que em nada se perfazem como adequadas ao equilíbrio do processo eleitoral, as quais atingem (…) o candidato em sua honra subjetiva, bem como o partido”, analisa o juiz auxiliar eleitoral Emerson Cafure.

“Verifico que os aludidos canais servem exclusivamente para divulgar calúnias, difamações, injúrias e notícias sabidamente inverídicas da esfera eleitoral, afetando diretamente o equilíbrio do pleito e a lisura do processo eleitoral”, continua o magistrado em outro trecho da decisão.

Cafure, em relato datado de 8 de setembro, deu prazo de 48 horas para que o Google remova os canais do Youtube, sob risco de ser multada em R$ 15 mil diários em caso de descumprimento. Assim como faz nos bloqueios de página do Facebook, a Justiça Eleitoral quer detalhes sobre os dados de internet dos responsáveis pelos canais para, em seguida, enviá-los à Polícia Federal.

Ao concluir este texto, a reportagem acessou os endereços listados na ação de bloqueio. Um deles ainda pode ser acessado normalmente, enquanto no segundo consta mensagem, em inglês, informando que o canal não está disponível para acesso no Brasil.

Jornal Midiamax