Política

Diretoras dizem que troca para colocar marca de Bernal pode ter atrasado uniformes

A prática de colocar propaganda subliminar até nos uniformes das crianças não é novidade em Campo Grande. E o prefeito Alcides Bernal vai seguir o exemplo de antecessores. Depois do ‘N’ estilizado que os alunos da rede municipal eram obrigados a ostentar abaixo do Brasão Municipal, agora será a marca que remete a um ‘A’ […]

Arquivo Publicado em 28/02/2014, às 15h34

None
389023098.jpg

A prática de colocar propaganda subliminar até nos uniformes das crianças não é novidade em Campo Grande. E o prefeito Alcides Bernal vai seguir o exemplo de antecessores. Depois do ‘N’ estilizado que os alunos da rede municipal eram obrigados a ostentar abaixo do Brasão Municipal, agora será a marca que remete a um ‘A’ e um ‘B’ deitado.

Publicitários asseguram que a tentativa, pelo menos, teria sido, assim como do antecessor, remeter às iniciais do nome do prefeito, AB, de Alcides Bernal. E diretoras de escolas da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande denunciam que o atraso nas camisetas para os alunos teria acontecido por conta da troca da logomarca dos uniformes.

Segundo as servidoras, que recusaram informar seus nomes e as escolas nas quais trabalham por medo de  sofrerem punições administrativas, a informação corre na própria Secretaria de Educação.

“Ouvimos dentro da Secretaria que os uniformes não estão prontos porque o prefeito mandou trocar tudo na última hora. Fizeram camisetas com o símbolo do outro prefeito e ele mandou devolver. O uniforme que vai chegar tem a logomarca dele”, afirmou uma delas.

A outra disse que a escola também foi impedida de comprar materiais este ano. “Estamos em racionalização total. Não tem giz colorido para as crianças, uma professora teve que comprar do próprio bolso para chamar a atenção dos alunos menores. Nos informaram que se comprarmos, teremos que pagar. Estamos economizando todo o material do ano passado para render”, disse.

A assessoria de comunicação da prefeitura nega que o atraso se dê por conta da troca das logomarcas, mas admite que os uniformes devem ter o símbolo que lembra as iniciais do prefeito Alcides Bernal.

“É de praxe que a administração troque o brasão, mas o layout fica disponível já no edital da licitação e não foi mudado depois. O atraso se deu porque o prefeito busca sempre o fornecedor com melhor qualidade e preço mais baixo”, disse a administração municipal.

‘Carona secreta’

O nome da empresa que fornecerá os uniformes, data de entrega e com qual prefeitura a Central de Compras de Campo Grande aderiu a ata de registro de preços, modalidade conhecida como “carona” na licitação pública, não foram informados.

A assessoria diz que o Secretário de Administração, Ricardo Ballock, não é encontrado para fornecer os dados. Quando localizado em agendas públicas pelas equipes de reportagem, Ballock diz apenas que “não dará entrevistas”, se negando a repassar as informações.

A prefeitura, segundo a Lei de Acesso à Informação, tem a obrigação de divulgar dados como os solicitados, já que a informação sob a guarda da administração é sempre pública e é um bem público.

Jornal Midiamax